Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Gestão e Tecnologia da Informação

Novo desafio para a TI: gestão do conhecimento

Nádia Tadeu Miranda e Luis Joyanes Aguillar

o entanto, a Gestão do Conhecimento não é tecnologia, mas pode beneficiar das novas tecnologias de informação e de comunicação. Assim cabe às tecnologias de informação criar eficazes modelos de qualidade e garantir os meios necessários, fomentando desta forma uma eficiente Gestão do Conhecimento nas organizações. Um dos desafios das áreas de Tecnologias de Informação (TI) é identificar, encontrar e/ou desenvolver e implementar tecnologias e sistemas de informação que apoiem a comunicação empresarial e a troca de ideias e experiências, que facilitem e incentivem as pessoas a unirem-se e a participarem; possibilitando assim iniciativas de se formarem grupos e redes informais. Cabe aos gestores das TI fornecer os meios necessários à criação de comunidades de trabalho.

Inevitavelmente não podemos dar à tecnologia a responsabilidade de ser a solução para tudo, mas é importante identificar qual a melhor tecnologia ou a que se considera mais adequada e relevante para cada organização.

As organizações que se voltam para a Gestão do Conhecimento necessitam de uma abordagem que veja a organização como uma comunidade humana, cujo conhecimento coletivo representa um diferencial competitivo em relação à concorrência.

Sendo através do conhecimento coletivo que baseiam-se as competências competitivas essenciais. Assim, cabe cada vez mais às organizações promover essa troca de conhecimento. Se um dos objetivos das empresas tiver em conta proporcionar o contacto de grupos de profissionais, que partilhem problemas e identifiquem tentativas comuns de solução, através da troca de experiências e informações, permitir-lhes-á ás criar as diretrizes fundamentais e cruciais para uma eficaz Gestão do Conhecimento.

É neste sentido que a Tecnologia da Informação tem um papel fundamental que muitas vezes tem sido negligenciado, ou mesmo passado despercebido, na maioria das empresas e órgãos de Informática. As competências essenciais e o conhecimento de uma organização baseiam-se em informações de negócio, conhecimento e experiências.

Um dos maiores desafios das áreas de TI passa por migrar de uma posição de suporte a processos, possibilitando assim o suporte a competências. Nesse sentido é fundamental sair do patamar do processamento de transações e agregar um perfil de construção de formas de comunicação, de conversação e aprendizagem, formando assim as comunidades de prática e a partilha de ideias e experiências.

O desenvolvimento de sistemas de suporte ao conhecimento deve estar claramente vinculado aos resultados globais das áreas de negócio. Sendo que as ferramentas tecnológicas de suporte ao conhecimento devem ser flexíveis e fáceis de usar, possibilitando assim uma maior autonomia aos membros das comunidades de trabalho.

Quando pensamos em TI de suporte à Gestão de Conhecimento surgem logo como as mais importantes a videoconferência, groupware, workflows, painéis eletrônicos, portais e grupos de discussão, bases de dados on-line, Internet, intranets, sistemas especialistas, agentes de pesquisa inteligentes, data warehouse / data mining e gestão eletrônica de documentos.

No entanto, a Gestão do Conhecimento é antes de tudo uma questão essencialmente de pessoas e processos. As tecnologias deverão ser vistas como úteis para a Gestão do Conhecimento pois proporcionam a integração das pessoas, facilitam a superação das fronteiras entre unidades de negócio, ajudam a prevenir a fragmentação das informações e permitem criar redes globais para a partilha do conhecimento.

No entanto, ainda há muitos desafios para um perfeito entendimento da Gestão do Conhecimento nas organizações, mas existe uma certeza, uma eficaz implementação das tecnologias, coordenada de todos os aspectos que sustentam uma bem-sucedida Gestão do Conhecimento, cria vantagens competitivas de difícil imitação.

Esta vantagem manifesta-se notoriamente de duas formas: a relação do conhecimento com a capacidade de inovação da empresa e a preparação e flexibilidade que esta possui para aprender rápido, permite uma reação favorável sempre que haja mudanças, estas que são cada vez mais frequentes nos mercados em que atua!
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo