Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Gestão e Tecnologia da Informação

Qual é a “cara” de um profissional de TI da segunda década do século XXI?

Ricardo Gimenez

Sócio-fundador do Grupo Coldwell, empresa prestadora de serviços de alta tecnologia, que desenvolve Sistemas Complementares para ERPs de grande porte com SAP, Oracle e-BS, JDE e Microsoft Dinamics.

Imasters

No início, todos os sistemas eram customizados e ninguém sonhava que um único software padronizado seria capaz de atender toda e qualquer empresa. Aí surgiram o Windows, o ERP, o CRM e as redes TCP/IP.

Interligações e projetos grandiosos disponibilizaram a nós a internet. Deixamos o Mainframe e sem perceber já estávamos nos anos 90, largamos os jalecos brancos e CPDs, fomos para as garagens criar e depois éramos especialistas que carregavam notebooks de três quilos e simplesmente taxados como Nerds. Tudo bem...

Depois chegamos ao ápice dos microcomputadores e da disponibilidade de ferramentas e recursos infinitos de BI e Comunicação. Uma época em que foram construídas os melhores e os mais confiáveis sistemas até então. Surgiram redes sociais, cloud computing, SaaS, Telefonia IP grátis com o Skype, serviços web do Google e finalmente o iPhone. O ano 2000 foi o mais avançado tecnologicamente na história da humanidade, desde a descoberta do fogo, da invenção da roda e do Pão de Forma fatiado.

Na ocasião, os usuários eram conhecidos como Geeks ou Nerds dos anos 2000, porém eram mais conhecidos como: aqueles que têm iPods, que conseguem baixar músicas da internet, que jogavam vídeo games e que tinham um Blog... Tudo bem! E o que nos reserva o futuro da computação pessoal e empresarial? A resposta é simples e pode ser dada com apenas uma palavra: Oportunidade.

Temos a oportunidade de vivenciar os avanços da tecnologia e usar nossas habilidades para melhorar a vida das pessoas, de criar e fazer coisas, de expandir horizontes e ultrapassar as fronteiras do conhecimento.

Muitas vezes nos confrontamos com desafios pessoais e profissionais que são verdadeiras barreiras, mas, para nós (Nerds, Geeks ou hoje reconhecidos profissionais de TI), facilmente transponíveis usando a genialidade humana. Não falo de desenvolver softwares, de inventar dispositivos, de mapear processos e gerenciar conteúdos, digo que possuímos experiência e um arsenal tecnológico ao nosso dispor, que tal usar?

A questão é: vou usar, mas para quê? A sugestão é: Para tudo!

    * Conseguir um novo emprego!

    * Caçar e contratar novos talentos para sua equipe!

    * Manter o networking “bombando”, falando com amigos e amigos de seus amigos em qualquer lugar do planeta!

    * Usar o GPS do telefone para andar de carro pela cidade e achar o endereço, compartilhando sua localização!

A tecnologia, o conhecimento e tudo que está disponível são nossos aliados para sermos considerados profissionais antenados com o século XXI. Pessoas valorizam isso, empresas valorizam isso e nós, profissionais de TI, queremos estar perto de pessoas que valorizam essa realidade.

Quando consegui meu primeiro emprego, sabia programar em C e dominava o alfabeto binário. Lembro que na época o chefe do RH (detesto a palavra RH, prefiro Departamento de Pessoas) perguntou: “Você sabe passar fax e telex? Sabe datilografar? Isso é importante para quem quer trabalhar no CPD!”. Nessa hora entendi que ia ser complicado explicar que trocar a fita de uma impressora matricial era diferente de montar uma função... Mas eram outros tempos!

Gostamos de trocar ideias e de ter a oportunidade de compartilhar experiências com pessoas que sabem tirar proveito das facilidades que a tecnologia pode nos proporcionar. Isso mostra que um profissional é adaptável, inovador e disposto a enfrentar desafios, seja ao atender um telefone touch screen, andar pela cidade, viajar de carro usando um GPS para chegar num lugar desconhecido, falar no Skype usando o 3G de seu celular ou simplesmente tirar uma foto de seu filho pequeno na praia e encaminhar para o e-mail de sua mãe via smartphone.

O ponto não é onde estaremos e para onde irá a tecnologia, o ponto é aonde você quer chegar e estar no futuro. Não me refiro a ficar parado, e sim a caminhar sempre adiante. Estamos na segunda década do século XXI, é inconcebível que um profissional de TI não seja ativo em redes sociais (LinkedIn ou Facebook), que não se abra no Twitter ou que não saiba a sensação de usar um verdadeiro Assistente Pessoal Tecnológico (um Smartphone como o iPhone ou o BlackBerry).

É possível que alguém em sua próxima entrevista de emprego peça seu e-mail, o adicione no LinkedIn ou no Facebook, leia seus últimos posts no Twitter ou olhe para o seu telefone, caso alguém ligue na hora da entrevista. Não é só a imagem que você quer passar, mas é o tipo de profissional que as empresas querem contratar no século XXI. Todos buscam profissionais dinâmicos, atualizados e dispostos a inovar!

Pense nisso, revise seus conceitos de tecnologia, vida pessoal, desejos e vá em frente.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo