Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão de Projetos

Capacitação e Dedicação: Base para uma eficiente gestão de projetos

Harley Pinto

Nos dias 13 e 14 de julho Belo Horizonte recebeu o 14º Seminário Nacional de Gestão de Projetos, uma realização do Instituto de Educação Tecnológica (Ietec). Durante esse período, profissionais de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Pará e Brasília discutiram os rumos da profissão e os principais desafios das empresas.


Duas foram as principais conclusões. Primeiro: um bom gerente de projetos precisa de qualificação constante. A segunda: faltam profissionais qualificados no mercado brasileiro. “Atualmente não há, no mercado, profissionais com a qualificação e disponibilidade que as empresas demandam. Para suprir essa lacuna, muitas têm formado seus próprios quadros. Mas a necessidade é latente e, pelo que vemos, deve permanecer pelos próximos anos, se mantida o mesmo ritmo de crescimento da economia”, observa Manoel Vitor de Mendonça Filho, vice-presidente da Gerdau-Açominas, que abriu os trabalhos do encontro analisando as oportunidades e ameaças dos projetos de investimento no Brasil.


O evento inovou, ao realizar transmissões ao vivo diretamente do site da Rede Minas de Televisão. Assim, foi possível disseminar em larga escala as melhores práticas entre os profissionais, além de permitir a troca de experiências entre as organizações participantes. “Eventos como este são importantes para conhecermos as formas de gestão dos grandes grupos empresariais. Aprende-se muito mais com a troca de experiências do que na simples aplicação da metodologia.”, analisa Ronaldo Gusmão, presidente do Ietec.


Luiz Fernando Pires, presidente da Mascarenhas Barbosa Roscoe Construções e do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (SINDUSCON-MG), e palestrante do evento, afirma que o gerenciamento de projetos é imprescindível em uma organização, seja ela pequena ou de grande porte. “Com a concorrência cada vez mais intensa entre as empresas, o setor se tornou estratégico e fundamental para a elaboração de técnicas de planejamento realmente eficientes. Com a prática de uma boa gestão, os diferenciais aparecem e o sucesso se torna ainda mais presente nos projetos e planos” comenta.


Durante os dois dias do Seminário, estiveram presentes mais de 230 profissionais, que assistiram a 24 apresentações, ministradas por especialistas renomados das seguintes organizações: Comau, Concremat, Construtora Even, CPLAN, De Paula Assessores e Consultores, Devex, Energ Power, Fiat, Gerdau-Açominas, IMPA Brasil, INDG (Instituto de Desenvolvimento Gerencial), M2 Consultoria, Mascarenhas Barbosa Roscoe Construções, Rede Metrológica de Minas Gerais, Reta Engenharia, Siemens, V & M do BRASIL e Véli Soluções em RH.


Qualificação é imprescindível


Um dos maiores diferenciais para se tornar um gerente de projetos de destaque é a busca permanente por qualificação. Um bom exemplo é a Samarco, onde há a divisão dos projetos rotineiros dos megaprojetos, responsáveis pela expansão das atividades da empresa. Quem explica é a coordenadora técnica de Recursos Humanos da empresa, Vânia Ferreira. “Já possuímos estabelecido um PMO e temos uma classificação interna de projetos, que vai de A a D. Eu trabalho num projeto de expansão, um megaprojeto de expansão, que é trabalhado separadamente do PMO corporativo, que se encarrega dos projetos mais rotineiros, digamos. Para esse megaprojeto, temos uma equipe específica pré-estabelecida e full time dedicada somente a esse empreendimento, que já tem toda uma metodologia implementada. Nele, trabalham nossos mais qualificados gerentes de projetos”, afirma.


Segundo Murilo de Mello Campos, diretor regional da Concremat, é fundamental ter um gerente de projetos na empresa. “Fizemos uma análise criteriosa, dentro do nosso Planejamento Estratégico, é enxergamos que uma metodologia com um escritório qualificado de PMO faz que a empresa tenha uma redução de custos na operação, ao mesmo tempo em que se melhora a qualidade dos serviços oferecidos. Investimos fortemente na qualificação dos nossos profissionais – inclusive com a realização de um MBA in company – pois vemos isso como um diferencial de mercado”, analisa.


Para Ivo Michalick, presidente do Project Management Institute Minas Gerais (PMI-MG) e sócio-diretor da M2 Consultoria, um gerente de projetos deve apresentar competências interpessoais que garantam o sucesso durante a condução de um empreendimento. “Para listar somente as principais, diria capacidade de liderança, de negociação e de comunicação. Sem esse tripé, todas as outras habilidades se tornam supérfluas. Elas são fundamentais para a formação de um bom gestor, que tem a função de integrar as diferentes áreas da empresa”, comenta o profissional, que traz sua vivência de mercado para o Ietec, como coordenador dos cursos de gerenciamento de projetos do Instituto.


Essa opinião é também compartilhada pelo líder do Comitê Estratégico do IPMA Brasil (International Project Management Association), Wilson Guilherme Ramalho da Silva. Para ele, um profissional preparado deve ter competência técnica, comportamental e contextual – critérios de avaliação do processo de certificação da IPMA - e estar em constante aperfeiçoamento, caso contrário, se torna um obstáculo para o mercado. Wilson convive com esta situação na prática. Como gerente geral para implantação da Refinaria do Nordeste na área de negócios de abastecimento da Petrobras, ele lida diariamente com a falta de mão-de-obra especializada em gerenciamento de projetos. “A falta de profissionais pode acarretar problemas graves como atrasos nos prazos de entrega, queda na qualidade, aumento dos custos e insatisfação dos envolvidos, fatores que elevam a rotatividade de e faz com que a empresa volte a uma das fases mais difíceis do projeto: encontrar o profissional adequado para a função”, enfatiza.


Escassez de mão-de-obra


Em uma pesquisa realizada pelo PMI Brasil com diversas empresas nacionais, foi diagnosticado que o déficit em gestores de projetos chegará a 50 mil gerentes de projetos qualificados em cinco anos. “Atualmente, o país investe em diferentes empreendimentos e desfruta de uma economia local que nunca criou tantos empregos, em contrapartida não consegue manter um quadro de profissionais capacitados o suficiente”, analisa Ivo Michalick.


“Mesmo diante desta escassez, não basta se formar, ou ser PMO para ter a certeza do sucesso profissional. É preciso ir além, se diferenciar, visto que a concorrência no mercado é grande, principalmente no que se refere aos grandes projetos empresariais, onde está a maior parte dos recursos e onde os melhores se destacam”, analisa o diretor de Negócios da Siemens, Wilson Leal, que participou do painel de encerramento do Seminário.

 Maturidade dos projetos


Um dos temas que gerou maior interesse durante o Seminário foi a pesquisa “Maturidade Brasil 2010”, coordenada por Darci Prado, consultor-sócio do Instituto de Desenvolvimento Gerencial. O levantamento apresentou resultados no que se refere à maturidade em gerenciamento de projetos e demonstrou de que forma este parâmetro contribui diretamente para a obtenção de sucesso nos resultados do negócio.


A partir de uma escala de um a cinco, os pesquisadores verificaram que as empresas nacionais detêm nota 2,61 como maturidade média. “Isso mostra que as instituições empresariais brasileiras ainda têm muito a evoluir, principalmente se quiserem vir a ser relevantes num cenário de internacionalização das economias. O nível ideal é atingido por somente 1% das entrevistadas, o que é muito pouco para um país com o potencial de crescimento como o nosso”, analisa Prado.
 

O coordenador do MBA de Gestão de Projetos do Ietec, João Carlos Boyadjian, afirma que “para se fazer uma boa gestão de um projeto, entre outras coisas, é necessário que se visualize qual será o ciclo de vida do projeto. Sob a ótica desse ciclo é que conseguiremos extrair quais serão os pontos a serem desenvolvidos no âmbito técnico e gerencial do empreendimento. É por meio do ciclo de vida que definiremos como os gestores aplicarão os processos e utilizarão as ferramentas adequadas de gestão”.
A pesquisa “Maturidade Brasil 2010” está disponível para consulta no site Ietec Hoje (http://www.techoje.com.br).

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo