Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão e Tecn. da Informação

Atenção com as informações de conteúdo!

Moisés Mishel Levy

Engenheiro e jornalista, especialista em engenharia econômica pela Universidade de Berkley (Califórnia/EUA, 1978).

A informática, como alguns de nós, nunca se lembra de homenagear no dia das mães. Nem no dia dos pais. Sua mãe é a Cibernética e seus pais são Wiener (Cibernética, 1948), Shannnon e Wiever (Teoria Matemática da Comunicação, 1949) e Von Bertallanfy (Teoria Geral dos Sistemas, 1949), que juntos podem ser considerados a linha de ataque desta seleção de ouro chamada informação.

Aliás, etmologicamente, o termo "informática", ao contrário de 99,9% dos vocábulos do computês, vem do francês "informatique" (information-automatique) e não do inglês. Qual é a importância disso?

É exatamente aí que devemos nos concentrar. A informação por meio de máquinas chamadas computadores é essa, informação automática, informática. Este "automática" acaba nos tirando a essência, o objeto da informação que é um processo de redução de incerteza feito por um emissor para um receptor. Se não reduzo a incerteza de meus receptores, não estou produzindo informação de conteúdo, estou emitindo sinais que tecnicamente podem funcionar perfeitamente -e até funcionam- só que não acrescento nada na produtividade da instituição na qual estamos inseridos seja ela uma empresa, uma universidade ou um órgão governamental.

Nos Estados Unidos proliferam textos de computação para leigos com o tema "computers for humans". Aqui mesmo têm surgido versões, como por exemplo a série "detesto" - "Detesto Computadores", "Detesto Word", etc. (Editora Campus) e detesto mesmo...

A coisa se agrava com os "autoexec. bat" da vida que para você pode ser moleza mas para maioria dos usuários leigos em sistemas equivale a uma tortura chinesa (desculpe: coreana, de Taiwan, do Paraguai & outras piratarias) com inglês macarrônico de terceiro mundo aliado ao hermetismo cheio de empáfia de algumas confrarias que se valem de algum conhecimento específico, estupidamente passageiro em particular nesta tecnologia, para exercer poder sobre os demais mortais.

Por isso nos meus cursos critico veemente o uso do termo "friendly user" (usuário amigável). Por acaso se entro em sua empresa estou pintado como índio com as cores da guerra? Você quer meu mal? Você quer que eu fique com raiva ("detesto") da sua companhia, de seus softwares de seus computadores, de suas impressoras de seus xyzpts-496-SXTSW?

Pessoal, lembrem-se do cliente tirando seu extrato no banco. Depois da fila, sua frustração é grande ao verificar seu saldo. Para saber o motivo, puxa o extrato (que também é cobrado). Aí vem a mensagem: "acabou o papel, chame funcionário". Nem na toalete acontece isso...

Piso e repiso: aprendam comunicação. Preocupem-se com o CONTEÚDO da informação veiculada!!!

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo