Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Dado, a Matéria Prima do Big data

Igor Rodrigues Nogueira
Pós-graduado em Gestão e Tecnologia da Informação pelo Ietec

RESUMO

Esse artigo foi construído com o intuito de compartilhar e descrever o quanto é e continuará sendo por muito tempo a importância dos dados para a sociedade com um todo. E também visa mostrar o poder dos dados, a potencialização no melhor aproveitamento deles através do Big Data em diversas áreas. O dado é uma matéria prima que não precisamos de nos preocupar diferente da água, por exemplo, é quase que um recurso infinito, muito abrangente e que o mundo com a sua competitividade cada vez mais aflorada nunca esteve tão sedento pelo resultado da lapidação e tratamento cada vez mais apurado que é a informação. Vamos mostrar o conceito e aplicabilidade do Big Data seguindo as tendências de gerenciamento inteligente, como ele pode prover melhorias nos serviços prestados atualmente, visando agregar maior valor, aumentar a qualidade, eficiência do presente e prever o que precisa ser feito para o futuro. Esse artigo teve como bases de estudo diversas fontes como materiais em sites de empresas que dominam o mercado como a IBM, o renomado Gartner Group e também sites de busca de artigos científicos. O objetivo geral deste trabalho é descrever como o Big Data transforma o dado em uma mina de ouro e mostrar também que podemos melhorar ainda mais o aproveitamento deles diante da oferta que temos disponível. Serão utilizados exemplos reais de sucesso no uso do Big Data para mostrar o valor que é ter uma informação certa no momento certo.

INTRODUÇÃO

Segundo a IBM (2014) todos os dias nós criamos 2,5 quintilhões de bytes de dados e que 90% dos dados no mundo de hoje foram criados nos últimos dois anos. Esta informação vem de todos os lugares como sensores usados para coletar informações sobre o clima, as mensagens para sites de mídia social, fotos digitais e vídeos, registros de compra de transação, sinais de telefone celular GPS para citar alguns.

Outra informação compartilhada pela IBM era que em 2011 o volume de dados digitais chegou a 1,7 zettabytes e que a estimativa para 2015 é que esse volume chegue a 8 zettabytes, só para entender o tamanho desse volume, 1 zettabyte corresponde a 1021 Bytes.

O Big Data é tudo isso que foi colocado, é um termo utilizado para descrever grandes volumes de dados e que a cada dia chama mais a atenção à medida que a sociedade é impactada com um aumento exacerbado de informações geradas a cada momento.

Outra definição do conceito de Big Data se aplica para dados que não podem ser processados ou analisados utilizando processos e ferramentas tradicionais. As organizações estão vivenciando vários desafios envolvendo o Big Data em que possuem acesso a vários dados, porém em muitos casos não conseguem saber como extrair o valor requerido e esses dados podem estar de forma estruturada e não estruturada, porém sem o conhecimento desse detalhe não se consegue definir o que precisa ser mantido ou não (IBM, 2014).

A era do Big Data está com força total devido às mudanças constantes em nosso Planeta. E através da avançada tecnologia estamos cada vez mais interconectados e não somente em alguma parte do tempo ou momento, mas sim a todo instante. Essa interconectividade é referenciada como Machine-to-Machine (M2M) que é responsável pelo aumento de dois dígitos de quantificação de dados ano após ano que é o resultado da criação da Internet das Coisas (IoT) que diante da comoditização de sensores, pequenos circuitos integrados ou microchips que instalados em equipamentos, embalagens, prédios, produtos, animais, marca-passos, relógios e outros, agora estamos aptos a adicionar inteligência e ser capazes de capturar informações de vários subsistemas e alimentar sistemas centrais de suporte à tomada de decisão e, eventualmente, de ação sobre os eventos e objetos monitorados (IBM, 2014).

Outro dado importante é que o Big Data e a Internet das coisas fazem parte das 10 tendências tecnológicas estratégicas para um Governo Inteligente que foi apresentado em um simpósio realizado pelo Gartner Inc. em Dubai nesse ano (2014) contextualizada no Nexus das Forças, que é a convergência das quatro forças poderosas: social, móvel, nuvem e informação. 

Clique aqui e baixe este artigo

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo