Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Metodologia de Implantação de Indicadores de Gestão da Manutenção

Alisson Gomes Caixêta e Edward de Matos Junior

 Pós-graduados em Engenharia de Manutenção pelo Ietec. 

RESUMO

O cenário econômico atual do pais é instável, desafiador e com muitas incertezas para os investidores e empresas de maneira geral. Porém, também é um momento de oportunidade para que as empresas se tornem competitivas, eliminando suas perdas produtivas, reduzindo seus custos de produção e oferecendo produtos e serviços que atendam às necessidades dos clientes. A empresa é vista hoje como uma cadeia de valores, onde a manutenção influencia diretamente nos resultados de custo e produção da organização. Atualmente, os gastos com manutenção no Brasil equivalem a 4,69% do PIB (Produto Interno Bruto), conforme o documento nacional de manutenção da ABRAMAN (Associação Brasileira de Manutenção) apresentado no Congresso Brasileiro de Manutenção de 2013. Esse volume de recursos justifica a preocupação de empresários e executivos de empresas dos mais variados ramos, com relação a este assunto. Diante deste cenário para tornamos a empresa competitiva precisamos ser eficazes na Gestão da Manutenção, devemos estar preocupados e atuantes no que diz respeito ao planejamento estratégico das suas ações da manutenção, garantindo assim a disponibilidade e a confiabilidade dos equipamentos e consequentes metas de produção. Neste cenário não existem espaço para improvisos e arranjos. Neste trabalho iremos abordar alguns conceitos de manutenção e a implantação de alguns indicadores necessários para a Gestão da manutenção.

PALAVRAS-CHAVE:

MTBF. MTTR. Confiabilidade. Disponibilidade. Indicadores.

INTRODUÇÃO

O plano estratégico de uma empresa define os objetivos e metas da mesma para os próximos anos, e geralmente são acompanhados através de indicadores de desempenho (Key Performance Indicator - KPI), sendo a disponibilidade de equipamentos um fator de suma importância para garantia do plano de produção contido no mesmo, pois sem ela pode-se comprometer os prazos de entrega, o volume produzido, os custos e a qualidade do produto, afetando a competitividade da organização, e a rentabilidade do ativo aos acionistas. Conforme Vaz (1998, p.397), “A função manutenção dentro da empresa representa um alto potencial de contribuição para o aumento de produtividade, à luz de seu relacionamento com a função produção”. As perdas causadas por um processo e/ou equipamento indisponível podem ser altas. Em geral, a área de manutenção procura manter os equipamentos em condições de funcionamento para que estas perdas não ocorram ou sejam minimizadas. Diversas podem ser as causas que influenciam a disponibilidade dos processos produtivos, entretanto, podese citar algumas como principais: planejamento de manutenção não adequado à realidade do processo, desconhecimento dos processos críticos da organização e falta de indicadores para acompanhar e gerenciar a disponibilidade e confiabilidade de processos ou ativos críticos. As organizações industriais, em geral, estão começando a dar a importância necessária à área de manutenção, conforme cita Madu (2001, p.937) “Manutenção de equipamentos e gerenciamento da confiabilidade são importantes no funcionamento eficaz dos negócios empresariais de hoje”.

Baixe o PDF desta matéria

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo