Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Desafios das empresas de economia mista na atualidade

Luciana Campos Luciano

Pós-graduada em Análise de Negócios e Processos pelo Ietec.

RESUMO

No contexto atual as empresas privadas concorrem diretamente em mercados historicamente monopolizados pelas empresas de economia mista, que possuem como acionista majoritário o Estado. Este artigo visa a reflexão sobre o meio de enfrentar essa concorrência mantendo as empresas de economia mista competitivas. Os enfoques definidos foram: o papel do analista de negócios, planejamento estratégico, gestão de processos, força de trabalho, alta direção e o contexto politico.

Palavras-chave: Estratégia. Analista de Negócios. Alta Direção. Processos. Força de Trabalho. 

INTRODUÇÃO

Para Rezende (2008), o planejamento estratégico é de suma relevância para organizações focadas no sucesso, devendo ser um projeto arrojado, criativo, eficiente e ágil. Tal assertiva se consubstancia no fato do planejamento estratégico ser um projeto organizacional, ou seja, consideram-se os aspectos financeiros, econômicos, sociais e seu meio ambiente, auxiliando de sobremaneira a gestão de processos. Santos (2007) acredita que a gestão de processos é fundamental para capacitar as organizações a lidarem com as crescentes mudanças em seu ambiente de atuação, e por tal razão, justifica-se o papel do analista de negócio, que será responsável junto com a equipe técnica pelo o alinhamento da estratégia, das partes interessadas e dos processos da organização. Surge então a dúvida: Como as empresas de economia mista, que possuem como acionista majoritário o Estado, manterão a sua vantagem competitiva perante as empresas privadas atuantes em seu setor considerando a possibilidade de mudança periódica de quatro anos da Alta Direção? Este estudo tem como ponto fundamental, ressaltar pontos relevantes que devem ser observados pela gestão de empresas de economia mista para garantir a continuidade de melhoria e execução do planejamento estratégico, mesmo que esse tenha sido elaborado em gestões anteriores. Os objetivos específicos do presente estudo consistirão: - Elucidar a necessidade de melhoria constante dos processos institucionais; - Demonstrar a importância do engajamento efetivo da força de trabalho e alta direção na elaboração e execução do planejamento estratégico; - Destacar a relevância da atuação do analista de negócio subsidiado pela equipe técnica, no alcance dos objetivos e metas determinados pela companhia. Isto posto e por tudo acima apresentado, o projeto que será exposto no decorrer deste trabalho pretende propor a pertinência da continuidade do desenvolvimento e execução do planejamento estratégico existente, sem que se perca o alcance dos objetivos e metas traçados pela Companhia, evitando assim retrocessos nas melhorias conquistadas.

Baixe o PDF desta matéria

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo