Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Editorial

Indicadores de desenvolvimento sustentável e a escolaridade do brasileiro

Ronaldo Gusmão

Diretor executivo do Ietec e coordenador geral da Ecolatina - Conferência Latino Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social.

Os indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2008 do IBGE nos oferece preciosas informações para consulta e para a tomada de decisões não só de governos mas principalmente das empresas privadas preocupadas realmente com o significado lato sensu de "Desenvolvimento Sustentável" ao invés do simples crescimento econômico.

Essa publicação nos permite cruzar inúmeros indicadores das dimensões social, econômica, ambiental e institucional. Tenho certeza que as empresas brasileiras que fazem parte do índice Dow Jones de Sustentabilidade da bolsa de  valores de Nova York, do índice de sustentabilidade empresarial da bolsa de valores de São Paulo, global compact da ONU e de outros inúmeros indicadores de sustentabilidade farão bom uso desta publicação.

Vamos fazer aqui uma simples análise de um indicador da dimensão social: a escolaridade, este indicador representa a média de anos de estudo da população de 25 anos ou mais de idade. O ideal seria que essas pessoas tivessem no mínimo 11 anos de estudo, que corresponde ao ensino médio completo, melhor ainda que essas pessoas tivessem o ensino médio profissionalizante, o ideal mesmo seria que tivesse um curso tecnológico superior. Ai sim esse ideal de escolaridade das pessoas passaria para 13 anos e meio de estudos.

Mas a realidade é outra, a taxa de escolaridade em 2005 era de apenas 6,7 anos, e o que é mais triste em dez anos ela só teve um crescimento de 1,2 anos, nesse ritmo levaremos 35 anos para alcançar a taxa de escolaridade de 11 anos. O que faremos? Quais são as ameaças e oportunidades?

Relacionando a taxa de escolaridade que cresceu 22% de 1995 a 2005 com outros indicadores: o PIB per capita passou de R$ 11.121 para R$ 12.157 um crescimento de 9,3%; o índice de Gini da distribuição do rendimento mensal das pessoas com mais de 10 anos de idade passou de 0,592 para 0,552 um decréscimo de 6,8%; a taxa de fecundidade que passou de 2,52 filhos por família para 2,06 decresceu 18,3% é uma informação altamente favorável mostrando que a educação está ligada intimamente a diversos outros fatores que proporcionam qualidade de vida aos indivíduos. Todos esses índices estão relacionados entre si e mostra a importância da taxa de escolaridade para a geração de riquezas e bem estar para uma nação.

Outro indicador também preocupante relacionado à educação é taxa de escolarização das pessoas de 20 a 24 anos, essa taxa mede o percentual de pessoas nesta faixa etária que estão freqüentando a escola, pasmem, somente 25% dos jovens estão na escola, esse é um desafio gigantesco que toda a nação tem que fazer agora, colocar essas pessoas numa sala de aula.

A taxa de escolarização diminui significativamente com o aumento da idade das pessoas, de 7 a 14 anos a taxa é de 97,3%, de 15 a 17 anos de 81,7%, de 18 a 19 anos é de 47,6%, o que pode se observar que á medida que as pessoas vão chegando á idade que tem que trabalhar elas param de estudar, essa é a importância dos cursos profissionalizantes do ensino médio na vida das pessoas, essa é uma oportunidade que as empresas devem criar para que seus funcionários não parem de trabalhar, "uma escola em cada empresa". Do ponto de vista de oportunidade empresarial estamos diante de um espetacular mercado educacional que nos esperar, temos que agir, os governos federal, estaduais e municipais precisa sinalizar aos investidores que é um mercado seguro, que não haverá surpresas, mas incentivos.

Nossa sociedade está a cada dia mais complexa, exigindo pessoas mais instruídas, pessoas que tenham a capacidade de adquirir informações por conta própria, que saibam escolher seus governantes e exigir deles um mínimo de comprometimento e decência.

Sem educação não haverá desenvolvimento sustentável, nem mesmo crescimento econômico que se sustente, porque não haverá uma sociedade justa sem oportunidades para todos.

 
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo