Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Especial

O paradoxo do crescimento

Comunicação Ietec

O crescimento da economia tem estimulado um forte aumento na demanda interna e externa das empresas nacionais. O que poderia ser uma boa notícia para investidores e empresários está se transformando em dor de cabeça para aqueles em que crescer nem sempre é sinal de dividendos.

O prejuízo dessas empresas começa quanto estas chegam ao seu limite de produção. Há uma necessidade dos setores em satisfazer o aumento da demanda e, em conseqüência deste processo, as empresas passam a exercer atividades extras, que exigem mais capacidade de produção e esforço de seus profissionais. Sintoma evidente da falta de conhecimento em gestão e investimentos em áreas estratégicas como produção e processos.
 
O mercado em geral está em expansão e o aumento da produtividade pode ocorrer através de dois caminhos: o investimento em equipamentos de alta tecnologia, o que exige um custo financeiro muito elevado, ou um correto aproveitamento da tecnologia que já se tem em mãos, o qual é necessário apenas um conhecimento de gestão aplicado à produção.
 
 
É neste aspecto que se destacam os setores da engenharia de processos e de produção, na avaliação de Cristiano Vilano, da Thega Indústria e Comércio. A empresa, fabricante dos discos diagrama para tacógrados DML, há bem pouco tempo não possuía nenhum método e controle de produção aplicado aos seus processo.
 
Como engenheiro de produção, Vilano conseguiu levar para dentro da empresa os conceitos e técnicas da profissão: "Ao investir na engenharia de processos e de produção houve uma reestruturação dentro da empresa. Criamos  controles e novas lideranças, afirma Vilano.
 
Aspecto positivo que também é observado pelo supervisor de produção da Esab, o engenheiro Vinícius Vianna: “Com as técnicas adequadas podemos minimizar os gargalos que atrapalhavam os processos. Por isto considero importante o investimento nas áreas de processo e produção acompanha, claro, da devida capacitação profissional”, conta Vinícius.

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo