Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão e Tecnologia Industrial

Os resíduos da indústria

Comunicação Ietec

A indústria nacional vem acumulando sucessivos recordes de produção. Investimentos e negócios em expansão mostram a atual força do segmento.  No entanto,  em meio a tantos números positivos um, em especial, preocupa: 69 milhões de toneladas de resíduos sólidos industriais (RSI) são gerados todos os anos no Brasil.

Deste total, 2,7 milhões são classificados como Classe 1: resíduos perigosos, responsáveis por colocar a saúde pública em risco devido às suas características de inflabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade. Os números são da Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), entidade que atua, integra e discute as questões relacionadas aos resíduos sólidos no país.

O volume de resíduos gerados pela indústria preocupa ainda mais se levarmos em conta outro agravante: os números divulgados pela Abrelpe revelam apenas parte da realidade. A maioria dos estados não possui bancos de dados que viabilizem a constituição de um sistema integrado. Isto permitiria uma visão ampla dos RSI gerados.

Reverter este quadro é um dos objetivos da indústria e para cumprir esta tarefa até mesmo as empresas terceirizadas para os serviços de coleta, transporte e destinação final de resíduos precisam encontrar soluções para equacionar o problema.

Para o mestre em Ciências, professor do ITA e instrutor do Ietec, Fernando Sodré, uma das soluções pode ser a capacitação e o desenvolvimento de estratégias de Gestão Ambiental. “Atualmente, uma indústria só terá perspectivas de crescimento no mercado interno e externo se atender às exigências das leis, regulamentos e normas ambientais”, lembra Sodré.

Para a engenheira ambiental e instrutora do Ietec, Daniela Cavalcante, as empresas, aos poucos, vem incorporando medidas eficazes no que se referem à gestão de seus resíduos. "Este é um movimento que encontra resistência em algumas empresas, apesar da maioria delas já terem consciência do impacto positivo que uma gestão de resíduos tem para a imagem institucional".

Para ela, as empresas só conseguirão minimizar os resíduos quando esta estratégia vier acompanhada de uma mudança cultural da empresa no que se refere ao tratamento final de seus resíduos.

Esta é também a opinião da gerente de qualidade e meio ambiente da Intercast, Fabiana Amaral. Segundo ela, a eficiência nas estratégias de gerenciamento de resíduos começa com o envolvimento de todos os profissionais da organização:

“Eliminar os resíduos nem sempre é possível. Portanto, é de fundamental importância que estes passem por um processo de gerenciamento que inclua o monitoramento e o correto manuseio destes materiais. Toda empresa comprometida com o meio ambiente busca desenvolver estratégias sustentáveis. Este é o nosso grande desafio”, afirma a gerente.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo