Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Especial

Empresas não sabem o custo real de seus produtos

Comunicação Ietec

 

Saber calcular o preço de venda de um produto é para algumas empresas um grande desafio. Muitas apostam em análises superficiais, e isto, certamente, poderá  comprometer a margem de lucratividade das organizações.

O fato é que, para este cálculo, o principal fato que deve ser observado pela organização é a análise de mercado (percepção de valor) e, na seqüência, o cálculo do quanto a empresa gastará para produzir determinado produto.

Do ponto de vista de cálculo de custos, o primeiro passo é identificar e classificar todos os custos que a organização possui como mão-de-obra direta e matéria-prima. Uma vez vencida esta etapa, cabe à empresa comparar a receita vinda de vendas com os custos previstos, obtendo, assim, a almejada lucratividade.

De acordo com o mestre em administração, José Ignácio Villela Jr., vários são os fatores que influenciam na formação de custo do produto, uns de forma direta, outros de forma indireta, sendo que na maior parte das empresas, o custo de matéria-prima e componentes tem um maior peso.

Desta forma, a estratégia utilizada no processo de compras é decisiva na formação de um preço de venda. Um grande estoque pode acarretar enormes prejuízos, uma vez que a empresa terá gastos com armazenagens e seguros.

Villela, que também é instrutor do curso de Pós-Graduação Gestão de Custos do Instituto de Educação Tecnológica (Ietec), enfatiza que muitas empresas não sabem o custo real de seus produtos, porque calculá-los não é uma tarefa simples.

“O cálculo do custo é algo bastante trabalhoso. Principalmente, quando se trata dos gastos indiretos, como a conta de energia e de água. Por serem difíceis de calcular, muitas empresas simplesmente estimam esses gastos indiretos, e outras ainda os ignoram”, pontua.

Mas de acordo com  Villela, só calcular os custos dos produtos corretamente não é suficiente. É preciso fazer uma gestão geral da empresa, tanto sob a ótica dos custos como também sob a ótica do valor agregado aos clientes.

Para o analista contábil da V&M do Brasil, Bruno Lara, saber calcular bem o custo de um produto é muito importante, pois fornece embasamento para as negociações com fornecedores e clientes:  “Se os custos não são calculados corretamente, não sabemos se estamos ou não fazendo um bom negócio”.

Já o tesoureiro da BVP Engenharia e especialista em Gestão de Custos,  Alisson Guimarães, muitas empresas se preocupam com o custo real porque é por meio deste que elas tentam reduzir os gastos e se tornarem mais competitivas no mercado. “Como trabalhamos com projetos é interessante sabermos o real custo de cada um deles, para que tenhamos um controle maior nas negociações”, relata.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo