Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Meio Ambiente

Construções em equilíbrio

Jornal O Tempo

Na cadeia produtiva do setor da construção civil, sustentabilidade não é mais uma tendência. O uso de materiais ecologicamente corretos e de soluções tecnológicas inteligentes para promover o bom uso e a economia de recursos, como água e energia elétrica, já se firmou como pilar do padrão de qualidade dos empreendimentos. Mais que promover a imagem da empresa e aumentar a credibilidade dos projetos, o conceito incorpora valores ambientais à realidade das construtoras a partir da conscientização de todos os envolvidos no processo construtivo.

Do início ao fim, cada obra deve seguir critérios que orientam a construção sustentável em todas as fases. Para garantir excelência ao produto final, construtores de todos os níveis podem adotar procedimentos testados e consagrados pela prática. Dicas e sugestões reunidas no "Guia de Sustentabilidade na Construção, publicado pela Câmara da Indústria da Construção" (CIC-Fiemg), reforçam a importância da conscientização e aplicação do conceito para melhorar o desempenho social e ambiental dos empreendimentos.

Com foco na habitação, as informações do guia, inédito no país, foram organizadas de acordo com as fases do ciclo de vida das edificações e com os temas abordados nas principais certificações voluntárias de construção sustentável disponíveis no mundo. O presidente da CICFiemg, Teodomiro Diniz Camargos, ressalta a importância da sustentabilidade na construção. "O setor tem participação expressiva na economia brasileira, gera muitos empregos e demanda grande volume de recursos naturais. Nesse panorama, o guia surge para reforçar a aplicação e a disseminação do conceito, para colocar as teorias em prática, trazendo para o dia-a-dia ferramentas úteis na produção de edificações sustentáveis."

Para o diretor geral da RKM Engenharia, Ricardo Alfeu, o guia reforça a sustentabilidade na construção como questão de consciência social, ambiental e econômica. "O guia trata o assunto de forma muito ponderada, com dicas viáveis, dentro da realidade do processo. O conteúdo reforça a consciência sobre o conceito na cadeia produtiva, relacionando as práticas ao custo/ benefício para o cliente e ao custo da obra", analisa.

Equilíbrio

O conceito de sustentabilidade em edificações abrange itens como eficiência do uso de água e de energia, tratamento de resíduos, uso de materiais certificados, reciclagem de materiais, conforto ambiental e diversas outras medidas que buscam equilibrar ganhos econômicos e preservação do meio ambiente, antes, durante e após a obra.

Segundo o presidente da Câmara da Indústria da Construção da Federação das Indústrias de Minas Gerias (CICFiemg), Teodomiro Diniz Camargos, há várias ferramentas de sustentabilidade sendo implementadas de forma usual. "Dentro do conceito amplo, muita coisa já é feita. Os programas de qualidade, a redução de consumo energético e de água, o reaproveitamento de água pluvial, a energia solar e a própria individualização de consumo nas edificações são exemplos de tendências de sustentabilidade que se firmaram ou vão se firmar", diz.

Nesse contexto, a chegada de publicações que abordem as novas tecnologias, estudos e publicações sobre o tema, como o "Guia de Sustentabilidade na Construção"têm boa aceitação. "O guia já está no site de várias entidades. Todo o trabalho foi desenvolvido dentro da cadeia produtiva, com participação de vários subsetores. Isso serviu de motivação para cada grupo trabalhar e divulgar o conceito dentro de suas especificidades", explica Camargos.

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo