Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão de Projetos

O Gerente e o ambiente de projetos

Alessandro Sperandio de Sá

Engenheiro civil da Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte – URBEL e pós-graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec

Resumo:

No mundo corporativo de hoje, um dos assuntos mais discutidos é a presença do gerente no ambiente de projetos. Vivemos uma época extremamente competitiva em que se exige, cada vez mais, deste e de sua equipe a melhor performance nos resultados dos empreendimentos. O sucesso ou o fracasso de um projeto é diretamente associado ao comportamento deste profissional que precisa constantemente estar atento principalmente às questões de custo, tempo e qualidade durante a realização do seu trabalho. Sendo assim, o gerente de projetos que queira apresentar bons resultados ao final do seu trabalho precisa buscar sempre desenvolver suas habilidades, aumentando e implementando sua capacidade de conduzir uma equipe de maneira satisfatória e de reconhecido sucesso.

Abstract:

In the corporate world today, one of the most discussed themes is the presence of the manager in project environment. We live a very competitive time in which is required, increasingly, of this and his team the best performance on the results of ventures. The success or failure of a project is directly associated with the conduct of this professional who needs to constantly be aware mainly to issues of cost, time and quality during the conduct of his work. Therefore, the project manager who wants to present good results at the end of his work must always seek to develop their skills, increasing his capacity to lead a team in a satisfactorily way and recognized success.

Palavras-chave:

Gerente, líder, equipe, projetos, gestão.

Keywords:

Manager, leader, team, projects, management.

1 - Introdução

O crescente desenvolvimento econômico e tecnológico observado nos últimos anos, pelo mundo inteiro, trouxe consigo uma enorme necessidade de profissionais qualificados no mercado de trabalho, para atender a toda demanda originada. Essa deficiência de pessoal experiente com alto nível de qualificação se apresenta tanto nos níveis hierárquicos mais baixos quanto nos níveis mais altos das empresas, sejam elas públicas ou privadas. E é neste cenário plenamente aquecido, motivado por gigantescos investimentos de recursos, nas mais diversas áreas, repleto de desafios e oportunidades, que se percebe a grande importância do trabalho desempenhado pelo gerente de projetos, responsável pela condução dos empreendimentos de uma organização, que vez ou outra é chamado também de gestor ou até, mais recentemente, de líder.

2 - Desenvolvimento

2.1 - Principais atribuições e responsabilidades do Gerente de Projetos

Independentemente da dimensão do projeto, podemos afirmar que a tarefa de um gerente não é nada fácil. Muitas das vezes o gerente se vê diante de verdadeiros desafios.  O projeto deve ser conduzido, buscando atender as expectativas de todos os stakeholders de modo a atingir os melhores índices para a empresa cujos interesses ele defende. Para alcançar estes objetivos é necessário e de fundamental relevância que o gestor conheça todo o empreendimento, ou seja, domine em absoluto todos os seus aspectos principalmente acerca dos itens relativos a  escopo, prazo, custo e qualidade.

O gerente deve conhecer detalhadamente todos os trabalhos e atividades que fazem parte do projeto. Aliás, é bom que ele saiba, inclusive, o que não faz parte do empreendimento. É praticamente inconcebível que um gestor não conheça exatamente todas as tarefas envolvidas.

Igualmente aconselhável ao gerente é que ele tenha consciência também do tempo que ele dispõe para terminar o projeto, ou seja, qual o período de existência do mesmo e empenhar todo esforço para que a data limite não seja ultrapassada. Torna-se muito constrangedora a situação de um líder quando ele não consegue cumprir sua missão na data marcada.

Outra grande responsabilidade do gerente é quanto ao custo. Este é o item que envolve o exercício de estimativa, orçamentação e controle dos custos do projeto. Trata-se de uma tarefa muito importante, pois muitas vezes o montante de recursos investidos pelos sponsors é muito alto e todos os investidores estão sempre almejando pelos maiores retornos possíveis. Obviamente, ninguém aplica dinheiro num projeto sem o objetivo de alcançar um retorno ou uma lucratividade interessante.

De nada adiantaria atender todo escopo no prazo determinado, sem ultrapassar o orçamento previsto, se não for atingida a qualidade esperada. Muitas vezes, é complicado conseguir absorver, na sua totalidade, o conceito de qualidade por se tratar de um aspecto até certo ponto subjetivo. Não é fácil garanti-la no transcorrer do projeto, mas é de suma importância que o gestor busque sempre pela melhoria contínua dos processos de garantia e controle da qualidade de seu produto.

2.2 - Habilidades necessárias para gerenciar projetos

Além de conhecer todos os aspectos técnicos sobre um projeto, considerando como já citados os aspectos de escopo, prazo, custo e qualidade, podemos ainda destacar algumas habilidades e características fundamentais que um bom gerente de projetos deve ter:

Uma importante habilidade do gerente se refere a sua capacidade de organização. Ele deve procurar ter uma visão completa sobre seu empreendimento de forma a otimizar e ampliar os canais de comunicação assim como dominar todo fluxo de informações acerca dos acontecimentos do projeto. Planejar e controlar as atividades de forma a ter sempre em suas mãos os índices e indicadores sobre a situação atualizada. Saber priorizar as atividades levando em consideração o grau de importância de cada uma delas.

Outra fundamental característica desejada para um bom gerente reside na sua criatividade associada ao senso crítico. Possuir a capacidade de enxergar determinadas demandas de maneira diferenciada, fugindo do convencional, apontando novas diretrizes e evoluir na forma de responder às demandas. Ou seja, ter a habilidade de julgar e escolher caminhos que permitam alcançar seus objetivos de maneira mais eficaz.

A iniciativa e a pró-atividade do gerente é também um fator de grande valia, pois demonstra que ele não está apenas observando os fatos. Deve estar engajado nas principais atividades, participando positivamente da tomada de decisões, mostrando coragem e determinação para enfrentar os desafios de seu cotidiano.

Todas as habilidades necessárias para a formação de um bom gerente de projetos seriam dispensáveis caso ele não possuísse a capacidade de se manter bem física e emocionalmente. Precisa a todo tempo estar preparado para todos os tipos de dificuldade, de modo a não se permitir abalar com os piores acontecimentos. Deve ter consciência que haverá pressão e cobrança de todo tipo e dimensão. Ao se deparar com este cenário o bom líder deve ter para si que sua determinação e autoconfiança serão seus principais alicerces para continuar firme na empreitada. 

2.3 - O gerente de projetos no papel de líder e sua relação com a equipe

Uma relevante atribuição do gerente está associada à equipe que ele comanda. Talvez uma das mais importantes habilidades, se não a mais importante, é aquela relacionada à capacidade de ser um líder integrador que incentive um ambiente harmonioso, amigável e respeitoso onde todos se conhecem, dividem e compartilham os momentos mais significativos de suas vidas. Que crie, inclusive, momentos de confraternização e descontração propiciando uma atmosfera favorável ao trabalho onde as atividades sejam realizadas mais tranquilamente.

Em muitas vezes ele não dispõe da possibilidade de montar sua própria equipe, pois esta já está pronta. O que pode se transformar num grande problema pois, existem grandes chances de se deparar com pessoas mal capacitadas, pouco treinadas, sem interesse no trabalho com baixo grau de envolvimento.

Igualmente problemático, é quando o gerente não possui ainda uma equipe, sendo que ele mesmo terá que recrutar um grupo de pessoas que terão a responsabilidade de ajudá-lo a gerir o empreendimento. Ele encontrará pessoas de várias formações, crenças e estilos diferentes. Terá que conhecer a capacidade e as dificuldades de cada um deste grupo e procurar tirar deles o máximo para alcançar o sucesso de seu projeto.

Esta equipe deverá ser bem informada quanto ao objetivo do projeto, ou seja, deverá conhecer qual é exatamente o propósito do empreendimento em que estão envolvidos. Além disso, ele deverá repassar para os participantes qual é a função específica e individual de cada um e também qual é o grau de interferência de suas atividades com as atividades dos demais componentes do grupo.

Uma segunda tarefa do gerente, ainda dentro do assunto equipe de projeto, refere-se ao desenvolvimento das pessoas que a compõem. Isso significa o esforço para aumentar a capacidade e habilidade de seus comandados. Este processo acontece ao longo da vida do projeto e quase sempre, em função da própria complexidade e variabilidade dos processos envolvidos no empreendimento.

O desenvolvimento de uma equipe pode ser realizada em pelo menos quatro subdivisões: Integração, Qualificação, Aperfeiçoamento e Liderança. A Integração tem o objetivo de nivelar as informações, alinhando valores ao mesmo tempo em que informa e define a missão da equipe. Por sua vez, a Qualificação tem como meta dividir as responsabilidades ao longo do projeto. O Aperfeiçoamento visa, além de aprimorar as qualidades dos indivíduos na sua função, prevê um efeito multiplicador dentro da equipe.  Finalmente, a Liderança objetiva o crescimento da capacidade de gestão dos componentes do projeto a ponto de que cada um seja um líder no projeto e de si mesmo.

3 - Conclusão:

Apesar de sabermos que a atividade de liderar é uma das mais complicadas e de maior importância para o sucesso dos empreendimentos, infelizmente ainda não podemos afirmar que existam grandes líderes a frente da maioria das organizações, salvos raros e honrosos casos. A boa notícia é que já podemos observar, em algumas empresas de maior expressão, uma mudança de mentalidade por parte daqueles que ocupam os mais altos cargos de comando.

De maneira simplificada, o que se espera de um bom gerente está primeiramente relacionado com as pessoas com quem ele trabalha. Deve captar os melhores talentos, desenvolvê-los e fazer com que alcancem o melhor desempenho, inclusive com espaço para a valorização e reconhecimento profissional.
Precisa conhecer, dentro da Matriz de Responsabilidades do seu projeto, todo o escopo e seus meandros principalmente acerca dos custos, prazos e qualidade esperados pelos stakeholders, sabendo que sua capacidade de relacionamento com todos os envolvidos é sua principal arma na difícil tarefa de gerenciar projetos.

4 - Referências bibliográficas:

CITELLI, Adilson. Linguagem e Persuasão. 3ª ed. São Paulo. Editora Ática, 1988.

ELFFERS Joost e GREENE Robert. As 48 Leis do Poder. Rio de Janeiro. Editora Rocco, 2000. 456 págs.

HUNTER, JAMES C. O monge e o executivo: Uma história sobre a licença da liderança. Rio de Janeiro. Editora Sextante, 2004.

KERZNER, Harold. Gestão de Projetos: As Melhores Práticas 2ª Edição. BOOKMAN. 2006.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos, PMBOK® Guide. Newtown Square, Pennsylvania, USA, 2004.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo