Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Especial

Metodologia de Gestão de Projetos: diferencial em tempos de crise

Comunicação Ietec

Em cenário de forte crise econômica, empresas necessitam trabalhar com maior eficácia, re-avaliar prioridades, inovar e evitar o re-trabalho. Isto significa dizer que o momento pede de cada gestor uma abordagem estruturada dos projetos e flexibilidade capaz de ajustá-los às flutuações do mercado. Exige ainda uma metodologia que garanta resultados mesmo em tempos de forte turbulência.

O gerenciamento de projetos se adequa a este perfil de metodologia. Com as mudanças no mundo de negócios, as corporações se deparam com o gerenciamento de um portfólio cada vez mais crescente de projetos. Estes tendem a serem muito mais complexos, e mais desafiantes em termos de prazos, custos e qualidade.

Portanto, empresas que utilizam e investem na aplicação da metodologia de Gestão de Projetos em seus negócios possuem maiores condições de enfrentar crises e recessões econômicas. A afirmação é do coordenador dos cursos da área de Gestão de Projetos do Ietec, o PMP Clênio Senra de Oliveira que cita o papel decisivo da metodologia  em cenários de forte instabilidade econômica.

“A Gestão de Projetos ganhou respaldo no passado porque, em momentos de crise e de escassez de recursos financeiros, era necessária a aplicação eficiente dos recursos disponibilizados para projetos em andamento. Portanto, empresas que já possuem uma metodologia de implantação de projetos certamente terão mais facilidade para enfrentar crises”, garante Senra.

Pesquisa realizada pelo Ietec durante o 11° Seminário Nacional de Gestão de Projetos, evento que reuniu em junho passado 97 empresas brasileiras e multinacionais, mostra que para 83% delas a gestão de projetos já faz parte de suas ações estratégicas. O dado fornecido pela pesquisa, apesar de ser considerado de grande relevância, ainda não traduz a eficiência que a metodologia poderia trazer aos negócios.

O não cumprimento de cronogramas, problemas de comunicação e de escopo são as três maiores deficiências destas empresas na aplicação da metodologia. Isso mostra claramente que, apesar de fazer parte da estratégia das grandes empresas, a metodologia de Gestão de Projetos ainda não está completamente aderente aos projetos das empresas. Eis, portanto, o grande desafio das organizações: tornar a metodologia mais eficaz aos negócios.

Na avaliação de Clênio Senra, as empresas buscam tornar a metodologia parte da cultura da organização. “Mas este não é um processo rápido, uma vez que implica na mudança de cultura da empresa, na liderança efetiva, no desenvolvimento das equipes de gestão e no apoio aos projetos”, explica.

Para o PMP João Carlos Boyadjian, também coordenador dos cursos de Gestão de Projetos do Ietec e um dos fundadores do Project Management Institute em São Paulo (PMI-SP),  a falta de qualidade profissional das pessoas envolvidas nos projetos e as falhas no processo de comunicação são os fatores que explicam a dificuldade das empresas.

Para Boyadjian, investimentos em treinamentos da equipe de projetos não devem deixar de ser priorizados pelas empresas. “Os profissionais precisam se manter atualizados. Isso faz parte do processo construtivista do aprendizado nos dias de hoje”, afirma Boyadjian.

A Converteam aposta na qualificação de seus profissionais que, recentemente, concluíram a pós-graduação in company em Gestão de Projetos pelo Ietec: “Esperamos que com essa formação, nossos empregados tenham melhor condição técnica e maior comprometimento para aplicar os conhecimentos de GP no desenvolvimento das nossas atividades”, afirma o diretor de operações da Converteam, Alex Alvarenga.

Ainda de acordo com o diretor, o objetivo deste curso era estimular a aplicação dos conhecimento de gestão. A turma de 25 pessoas contou com profissionais dos mais diversos setores o que, certamente, fortalecerá a mão-de-obra voltada para os projetos da empresa.

Não podemos esquecer que o atual cenário econômico impõe à profissionais e empresas uma necessidade de inovação constante, gradativa e firme. “O que precisamos é trabalhar com bom senso na implantação da metodologia e garantirmos processos enxutos”, afirma Boyadjian.

Atenção especial aos sintomas que possam ser monitorados para permitir uma atitude pró-ativa perante a eventual proximidade de ocorrência do risco. Para a controller da Alston Brasil, Aline Frezzolino, “é fundamental que gestores de projetos ajam antes que o risco de efetive. Todos os projetos elaborados pela Alston passam por um gerenciamento de riscos, uma vez que é importante diluí-los e isto é proporcionado de forma efetiva pela metodologia de gestão de projetos”, afirma.

Para Clênio Senra, empresas precisam se conscientizar de que existe uma forma melhor de gerenciar seus projetos: “Nos últimos 10 anos, houve um crescimento considerável na aplicação das melhores práticas de gestão, o que tem gerado excelentes resultados para as empresas. Empresas que utilizam de forma eficiente a metodologia mostram que é possível alinhar a gestão de projetos ao seu planejamento estratégico de forma eficiente e eficaz”, conclui.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo