Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Especial

Uma empresa do presente e do futuro

Cinthia Coelho

Revista Ietec - edição nº25

Antever tendências, investir em inovação e oferecer soluções para um mundo que propõe novas demandas a todo instante. Este é o objetivo da Cemig que, desde 1952, é conhecida pela avançada tecnologia de produção de energia elétrica, gestão de recursos financeiros e humanos.

A Cemig atua na geração, transmissão e distribuição de energia. Está presente em Minas Gerais, em outros 10 estados brasileiros e no Chile. Na área de distribuição, é responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional de energia elétrica.

Nos últimos quatro anos, seu valor de mercado passou de R$ 4 bilhões para R$ 16 bilhões. Lucrou em 2008 R$ 1,89 bilhão e se tornou um dos maiores grupos empresariais do setor energético brasileiro.

“O bom desempenho da Cemig é explicado por termos um programa eficiente de gestão com metas e diretrizes sustentáveis. Por isto, a empresa tem o reconhecimento dos investidores no Brasil e no exterior”, explica o diretor-presidente da Cemig, Djalma Bastos de Morais.

Recentemente, a Cemig foi inserida no seleto grupo do Índice Global Dow, lançado em novembro nos Estados Unidos, com o objetivo de ser referência para os mercados mundiais. 150 empresas de 25 países estão incluídas neste índice. Três são do Brasil: Cemig, Vale e Petrobras.

Já o Índice Dow Jones de Sustentabilidade, inclui pelo 9º ano consecutivo a Cemig na lista das 320 empresas com as melhores práticas de sustentabilidade corporativa do mundo.

Para manter o bom desempenho, Djalma Morais anuncia: 2009 será um ano de investimentos. “Independentemente da crise, a Cemig manterá os seus investimentos para 2009. Não podemos recuar. Vamos investir cerca de R$ 1,4 bilhão, sem contar os recursos que serão aplicados em novas aquisições”, afirma.

Alinhado ao seu crescimento econômico, a Cemig investe e apóia projetos que promovam o desenvolvimento socioambiental. Em 2007, a empresa investiu R$ 44 milhões em programas ambientais.

“Há 30 anos, quando a questão ambiental era pouco tratada nas grandes empresas, a Cemig já possuía forte atuação na área, seja na implantação de uma das primeiras estações de piscicultura no setor elétrico (Estação de Volta Grande), seja na implantação de reservas ambientais como a Peti, considerada referência no país”, lembra.

Localizada entre os municípios de Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo, a  Unidade Ambiental Peti, com 606 hectares, foi criada pela Cemig em 1983 para se tornar um centro de estudo da fauna e flora nativa. “Acreditamos que não basta apenas cumprir a legislação ambiental. Temos que ir além. Conseguimos dar retorno aos nossos acionistas sem esquecer da responsabilidade socioambiental”, garante.

Além da Peti, a Cemig possui outras cinco estações ambientais. Investe em educação ambiental; em sistemas de gestão ambiental; em novas matrizes de energia, como a eólica; e em tecnologias que garantam maior proteção ao meio ambiente frente ao seu processo de expansão.

“É preciso ressaltar a capacidade e disposição da Cemig em dialogar com os vários segmentos da sociedade. Construímos e participamos de projetos de implantação de hidrelétricas sempre tentando minimizar os problemas que um projeto desse porte impacta no meio ambiente”, ressalta.

No aspecto social, Djalma Morais destaca o alinhamento estratégico do capital humano da Cemig como fator fundamental para o bom desempenho da empresa. A empresa apóia e estimula a capacitação de seus 10 mil funcionários. Está prevista para 2009 a implantação da universidade corporativa da Cemig, além de outras ações que possam garantir aos funcionários crescimento e sintonia com as melhores práticas.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo