Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão de Projetos

A Gestão de Recursos Humanos Alinhada à Gestão De Projetos

Aureliano Fagundes de O. Filho

Pós-Graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec

O termo indivíduo (Ferreira, 1986), quando substantivo, refere-se a “pessoa humana, considerada quanto às suas características particulares, físicas e psíquicas”. Uma organização é composta de pessoas que trazem para seu interior suas necessidades, interesses, sonhos, potencialidades e limitações. Quando usado como adjetivo, indivíduo é sinônimo de indiviso, de algo que pode ser dividido. E esse significado parece estar definitivamente incorporado às políticas e ações contemporâneas de gestão de pessoas. Este artigo refere-se à importância das pessoas no sucesso de um projeto. Como a área de Gestão de Pessoas pode fazer a “diferença” na Gestão de Projetos.

Palavras Chaves: Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Projetos, Pessoas, Motivação.

Introdução

A transformação é uma das características mais marcantes do ambiente empresarial no Brasil e no mundo. As mudanças organizacionais, no ambiente empresarial e na sociedade são profundas e ocorrem em ritmo cada vez mais acelerado. Um dos impactos mais expressivos dessas mudanças no ambiente é, por parte das organizações, o aumento do nível de qualificação e de conhecimentos exigido dos profissionais, com implicações diretas na gestão de pessoas e nos modelos utilizados em sua administração.

Toda e qualquer organização depende, em maior ou menos grau, do desempenho humano para o sucesso. Estabelecer os conceitos básicos do tema, e atentar para os principais desafios da gestão de pessoas, previamente ao estabelecimento de discussão de sua importância para a Gestão de Projetos é, portanto, uma tarefa útil a ser cumprida neste artigo.

Gestão de Pessoas

Entende-se modelo de gestão de pessoas a maneira pela qual uma empresa se organiza para gerenciar e orientar o comportamento humano no trabalho. Para isso, a empresa se estrutura definindo princípios, estratégias, políticas e práticas ou processos de gestão. Através desses mecanismos, a empresa implementa diretrizes e orienta os estilos de atuação dos gestores em sua relação com aqueles que nela trabalham.

A importância que o comportamento humano vem assumindo no âmbito dos negócios fez com que a preocupação com sua gestão ganhasse espaço cada vez maior na teoria organizacional. É nesse contexto que surge o conceito de modelo de gestão de pessoas. Quando esse conceito é estrategicamente orientado, sua missão prioritária consiste em identificar padrões de comportamento coerentes com o negócio da organização. A partir de então, obtê-los, mantê-los, modificá-los e associá-los aos demais fatores organizacionais será o objetivo principal.

Já a estratégia organizacional refere-se ao comportamento global e integrado da empresa em relação ao ambiente que a circunda. Quase sempre, estratégia significa mudança organizada. Toda organização precisa ter um padrão de comportamento sistêmico em relação ao mundo de negócios que a circunda e onde opera.

Essa estratégia juntamente com a Gestão de Pessoas, torna a empresa com maior potencialidade para trabalhar através da Gestão de Projetos. Vale lembrar que projeto se refere a algo definido, planejado o qual consiste num conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas, para se chegar a um objetivo específico e que se trabalha com variáveis de tempo e custos.

A gestão de pessoas possui um grande desafio ao se trabalhar alinhada a um Projeto, pois ela possui a responsabilidade de fazer com que no projeto tenha as pessoas certas, e também fazer com que essas pessoas executem e façam do projeto um sucesso.

Otimização da Gestão de Projetos alinhada à Gestão Estratégica de Pessoas

Passamos em um momento histórico em que a competição é um fator presente nas organizações e isso se reflete na concorrência por profissionais que agreguem condições determinantes no diferencial de qualidade da empresas e dos projetos.  Agregar, Desenvolver e reter o capital humano, o individuo tornaram-se ações chaves para a sobrevivência de uma empresa e o sucesso de um projeto.

Diversas são as áreas que a Gestão de Pessoas pode atuar a fim de se tornar válida ao projeto. Podemos citar alguns como: (a) Recrutamento e seleção; (b) Treinamento; (c) Desenvolvimento; (d) Remuneração; (e) Relação com o empregado; (f) Higiene, Segurança e Qualidade de Vida. Essas devem ser pensadas a partir do escopo do projeto, pois requerem tempo e dinheiro para serem realizadas com qualidade.

Dessa maneira, o escopo do projeto permitirá dizer qual será a atuação da área de Gestão de Pessoas em relação àqueles que compõem o projeto. Qual será o foco de trabalho e as medidas que se podem tomar a fim de que o capital humano seja valorizado e conseqüentemente atue de forma a agregar cada vez mais valor ao projeto, tornando-o exemplo a demais.

Ao observar que um projeto nem sempre possui grande quantidade de tempo para ser executado, e assim, não permite muitas ações da área de Gestão de Pessoas, pode-se citar uma ação de contribuição para o Projeto. Qual seria? A utilização da “Motivação” como ferramenta para otimização do projeto. A seguir maiores explanações.

Motivação ferramenta importante na Gestão de Projetos

O Papa João Paulo II, em sua carta encíclica Laborem Exercens, dizia que o trabalho é um bem do homem – é um bem da sua humanidade – porque, mediante o trabalho, o homem não somente transforma a natureza, mas também se realiza e até, num certo sentido, torna-se mais homem.
 
A motivação tem sido um dos temas mais estudados em gestão de pessoas, e mesmo assim, permanece um dos aspectos mais preocupantes do cotidiano das organizações. São inúmeras as opções para motivar os empregados, há muitos investimentos em novos e retumbantes programas motivacionais.

No sentido mais amplo, “motivação corresponde ä uma modificação do organismo que o faz mover-se, até que se reduza essa modificação” (Piéron, 1964). Motivação é definida como um impulso à ação. É também traduzida como necessidade ou tendência e originada basicamente no interior do individuo.

“Para compreender a motivação humana, o primeiro passo é o conhecimento do que a provoca e adinamiza. A motivação existe dentro das pessoas e se dinamiza com as necessidades humanas. Todas as pessoas têm suas necessidades próprias, que podem ser chamadas de desejos, aspirações, objetivos individuais ou motivos. As necessidades humanas ou motivos são forças internas que impulsionam e influenciam cada pessoa determinando seus pensamentos e direcionando o seu comportamento diante das diversas situações da vida”. (CHIAVENATO, 2006)

 

A motivação funciona de maneira cíclica e repetitiva. O ciclo motivacional é composto de fases que se alteram e se repetem. O organismo humano tende a um equilíbrio dinâmico. Esse equilíbrio rompe quando surge uma necessidade.

E é através desse conhecimento que a área de gestão de pessoas deve focar seu trabalho, a fim de permitir e fazer com que o individuo, o empregado que participa daquele projeto sinta-se com vontade, desejo de realizá-lo da melhor maneira possível.

Considerações Finais

A história da administração de recursos humanos revela que, mais que a adoção de políticas ou instrumentos padronizados, o que caracteriza uma nova fase é a internalização e a operacionalização de um novo conceito. Um novo modelo se caracteriza por uma nova lógica que dá coerência e direcionamento para as praticas de gestão.

A Gestão de Pessoas procura a agregar determinado valor ao projeto. Para sua permanência é preciso avaliar seu desempenho, sua necessidade e seu compromisso perante o projeto.

Lidar com processos motivacionais das pessoas nas organizações e em projetos é tarefa por demais complexa, ainda que necessária. A motivação tem sido vista como uma saída para melhorar o desempenho profissional no que diz respeito à produtividade quanto à saúde organizacional e à satisfação dos trabalhadores.

Concluindo, a motivação e também as demais áreas de Gestão de Pessoas que podem contribuir para um projeto, pois, são processos no qual as pessoas são peças chaves. O gestor deve saber como conduzir cada pessoa de sua equipe a fim de fazer com que os pontos fortes desses sobressaiam de maneira tão positiva que permita cada vez mais que as pessoas façam o melhor e o mais eficaz projeto. 

Bibliografia

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus 2004.

FISCHER, Rosa Maria. “Pondo os pingos nos is” sobre as relações do trabalho e políticas de administração de recursos humanos. In: FLEURY, M. T. L. e Fischer, R. M. Processos e Relações do Trabalho no Brasil: movimento sindical, comissão de fábrica, gestão e participação, o modelo japonês de organização da produção no Brasil (CCQ e Kanban). São Paulo. Atlas, 1985.

KERZNER, Harold. Gestão de Projetos - As Melhores Práticas 2ª Edição. BOOKMAN. 2006.

ULRICH, Dave. Os campeões de Recursos Humanos. 6ª Ed. São Paulo: Futura, 1998.

PROCHONW, Schaffer, 1999 apud ONU, 1984

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos. PMBOK® Guide. Newtown Square, Pennsylvania, USA, 2004.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo