Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão de Projetos

A busca pela eficiência da gestão de custos em projetos

Comunicação Ietec

Restrições orçamentárias, cancelamento de contratos, incertezas. Estes são os componentes que integram hoje o cenário de boa parte das empresas em todo mundo. Gerir projetos neste contexto exige adaptações. A principal delas é a gestão de custos de um investimento.

Embora isto pareça óbvio, afinal de contas, não existe projeto eficaz sem uma gestão de custos também eficaz, o atual quadro econômico mundial exige cautela.

O que se deve ter em mente é que a crise aumenta a pressão por alto desempenho a baixo custo. Portanto, é imprescindível que a empresa se torne capaz de priorizar e gerir seus investimentos. Neste aspecto, a metodologia de Gestão Projetos passa a ser um importante diferencial para toda e qualquer empresa.

“É importante que empresas desenvolvam uma visão mais abrangente das melhores práticas de planejamento e controle de custos de projetos. Considero esta postura imprescindível para o sucesso de qualquer negócio”, ressalta o engenheiro industrial e PMP, Clênio Senra de Oliveira.

O corte de gastos em um projeto, no entanto, é uma ação que deve ser criteriosa e bem estruturada. O importante é saber investir, ou seja, reduzir desperdícios e conseguir, mesmo com uma receita constante, cumprir prazos e garantir a qualidade do produto final.

Vale destacar, contudo, que a gestão eficaz dos custos de um projeto sempre foi um dos grandes desafios das empresas. A última edição da Pesquisa Ietec, realizada durante o Seminário Nacional de Gestão de Projetos, ocorrido em 2008, retrata bem esta situação.

Entre os dez mais graves problemas enfrentados pelas equipes de projetos, está o não-cumprimento dos orçamentos estipulados pelas organizações. Cerca de 35% das empresas consultadas afirmaram que extrapolam os gastos previstos em seus projetos.

Para Clênio Senra, que também é coordenador dos cursos de Gestão de Projetos do Ietec, projetos que não obedecem aos orçamentos fixados geram alterações no escopo, mudanças nas prioridades, retrabalho em função da falta da qualidade do projeto, entre outras conseqüências.

A capacidade de negociação é também uma das habilidades profissionais mais valorizadas pelas empresas hoje. Além disto, empresas e profissionais pretendem investir em capacitação nos próximos meses a fim de aperfeiçoar processos e se destacarem em um mercado com recursos cada vez mais escassos.

Para o gerente da Bahia Mineração, Emerson de Oliveira Barros, os orçamentos limitados e a exigência crescente por qualidade são convites para repensar a postura de empresas e profissionais sobre como os custos hoje são geridos.

“Não há dúvidas de que o investimento em capacitação gera um valor agregado que vai repercutir positivamente em nossos projetos. Após o curso, me sinto mais confortável para gerenciar relatórios de desempenho de custos em nossa obra”, afirma Barros.

É por isto que para os otimistas, a atual crise é uma grande oportunidade para que surja uma nova postura profissional capaz de minimizar desperdícios financeiros e maximizar a eficiência na gestão dos recursos. Sem dúvida, este será um caminho sem volta.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo