Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: RH

Gestão de Projetos: Experiência ou formação?

Júlio César de Magalhães Almeida

Analista de Sistemas, Pós Graduado em Gestão de Projetos pelo IETEC

1 - Introdução

Reunião de lançamento do projeto ("Kick-off"), e a atmosfera é a melhor possível, o auge do pensamento positivo, todos confiantes que os desafios serão transpostos e o objetivo comum será com certeza atingido. Nada pode dar errado, equipe está motivada, o gerente está designado, o patrocinador e a alta gerência estão comprometidos, o planejamento está aprovado.

Normalmente, os gerentes de projetos são profissionais altamente competentes, que realizaram excelentes trabalhos técnicos, da mais alta complexidade, e que como prêmio pelo seu exemplar desempenho nos últimos anos, foram promovidos à gerentes de projetos. Eis o primeiro e grande desafio: realizar o primeiro projeto dentro do prazo e do orçamento aprovados!

Como? Eis as ferramentas, de comprovada eficácia, das quais ele precisa: um sistema para controle do cronograma, softwares como o MS Project ou o Primavera, e metodologia, uma compilação de todos documentos necessários durante todo o ciclo de vida do projeto, orientada aos produtos a serem entregues ("deliverables")!
Tudo parece correr as mil maravilhas até que o projeto começa a desandar: componentes da equipe não chegam no horário estipulado dos compromissos, outros se ausentam com desculpas esfarrapadas, o time não se organiza para definições e tomadas de decisões importantes, temas já encerrados são reabertos para discussões continuamente, conflitos de interesse tomam lugar à sinergia da equipe, e toda sorte de adversidades acontecem.

2 - Definição

O que deu errado? Para todo e qualquer gerente despreparado o menor obstáculo parece algo intransponível. O conflito é inevitável em qualquer organização, e, em especial, no âmbito de um projeto, e, por isto, ele precisa ser admitido, entendido e administrado e deve ser considerado como o resultado natural de uma proposta de mudança. O conflito é saudável, quando se sabe tirar proveito dele para gerar conseqüências benéficas ao projeto e à organização.

O conjunto de habilidades exigidas do gerente de projetos é tal que ele permeia todas as áreas de conhecimento, desde as práticas de administração tradicional, passando pela área de aplicação específica, até o conhecimento da gestão de projetos em si, tornando-o quase um super profissional.

E será que esse a soma conhecimento é adquirido somente às duras penas das experiências vividas, na base das tentativas e erros, das lições aprendidas? Não. Atualmente o estudo da gestão de projetos é uma disciplina bastante difundida e um compêndio das melhores práticas neste mercado já é um requerimento obrigatório na bagagem do profissional que deseja se manter competitivo. O PMI (Project Management Institute), Instituto de Gestão de Projetos, é uma entidade sem fins lucrativos, que vem desde 1969 se dedicando a um rigoroso programa de certificação profissional PMP (Project Management Professional), à formação e divulgação das competências desse profissional, e têm ganho adeptos no mundo todo. São mais de 100.000 profissionais associados em todo o mundo, que sob um rigoroso código de ética profissional, contribuem para o reconhecimento da classe, e que com certeza desempenham um importante e imprescindível papel nas organizações. Hoje são inúmeros os cursos de aperfeiçoamento e extensão profissional, de pós-graduação, e mesmo MBA's, em Gestão de Projetos, que tem como alicerces os conceitos básicos do PMBOK Guide (Project Management Body Of Knowledge), que é o guia do PMI que pretende difundir as práticas consagradas e geralmente aceitas para o Gerenciamento de Projetos.

O PMBOK organiza os processos em nove capítulos, representados pela áreas de conhecimentos, a saber:

4. Gerenciamento da Integração do Projeto,
5. Gerenciamento do Escopo do Projeto,
6. Gerenciamento do Tempo do Projeto,
7. Gerenciamento de Custos do Projeto,
8. Gerenciamento da Qualidade do Projeto,
9. Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto,
10. Gerenciamento de Comunicações do Projeto,
11. Gerenciamento de Riscos do Projeto, e
12. Gerenciamento do Suprimento do Projeto.

Os processos de gerenciamento de projetos e os processos voltados ao produto sobrepõem-se e interagem por todo o projeto, estão ligados entre si pelos resultados que eles produzem, são insumos para o processo seguinte, e ocorrem em níveis variáveis de intensidade durante cada uma das fases do projeto.

3 - Conclusão

Bons profissionais abordam o conflito nas suas fases iniciais, se antecipam aos fatos e concentram seus esforços na criação de um ambiente destinado a evitar conflitos. A gestão de projetos nada mais é que administrar o capital humano, seus interesses e relacionamentos, que por sua complexidade exigem profissionais cada vez melhor preparados. Assim as organizações devem investir na formação desses profissionais cada vez mais cedo, através de entidades sérias, complementando a experiência adquirida, como forma de assegurar o sucesso do seu negócio, num ambiente motivador, que contribua para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores.

Bibliografia

PMBOK Guide 2000 (Project Management Body Of Knowledge)

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo