Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Mercado de trabalho favorável ao profissional de meio ambiente

Comunicação Ietec

A retomada da produção industrial no pós-crise e a preocupação com  os efeitos das mudanças climáticas têm puxado para cima a carreira dos especialistas em meio ambiente. Frente aos investimentos públicos e privados anunciados e às necessidades de cumprimento das legislações ambientais, os profissionais da área são mais requisitados.

As funções do especialista em engenharia ambiental integrada são diversas. Responsável por atuar na gestão dos processos produtivos associados às tecnologias limpas, na administração sustentável da produção e na prevenção da poluição causada por produtos e processos – desde a escolha da matéria prima até o descarte do produto, motivo que justifica o emprego da palavra “integrada” –, o profissional é mais um aliado na busca pelo desenvolvimento das empresas.

“As empresas que querem se manter competitivas terão que investir em ações sustentáveis para sobreviver no mercado. Tanto para preservar os recursos naturais, que são escassos, quanto para evitar multas”, afirmou o coordenador dos cursos de meio ambiente do Instituto de Educação Tecnológica, Ignacio Fernandez de Andrade. De acordo com ele, o gerenciamento ambiental preventivo representa uma condicionante para o melhor desempenho, uma maior eficiência e um maior retorno dos investimentos de uma empresa.

A engenheira de Controle Ambiental da Concremat, Lívia Ribeiro, concorda com Andrade. Segundo ela, que desenvolve propostas, estudos e análises ambientais, conhecer as legislações municipal, estadual e federal é fator chave para o profissional da área.

Para desenvolver suas habilidades, Lívia Ribeiro inscreveu-se na Pós-Graduação em Engenharia Ambiental do Ietec. “Comecei o curso há poucas semanas, mas já percebi que poderei aplicar o conteúdo estudado na sala de aula diretamente no meu dia a dia profissional, um dos meus objetivos”, afirma Lívia, que atua, principalmente, nas áreas de gestão de resíduos sólidos, abastecimento de água, esgotamento sanitário e drenagem Urbana.

Presente há 40 anos em Minas Gerais, a Concremat oferece serviços que abrangem todas as fases de desenvolvimento do empreendimento, desde os estudos de viabilidade até a conclusão do projeto, incluindo a execução das obras.

A empresa tem participação significativa nos mais diversos segmentos de mercado. Entre eles, mineração e barragens, infraestrutura urbana, energia, meio ambiente, siderurgia, petróleo e saneamento.

Este último, é uma das principais apostas para o profissional especializado em meio ambiente. Somente com relação aos investimentos públicos, a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) prevê pelo menos R$ 40 bilhões em saneamento básico entre 2011 e 2014. O montante é equivalente ao destinado à primeira fase do programa.

“A análise ambiental para verificar os impactos da urbanização é essencial para a implantação do saneamento”, afirmou Lívia Ribeiro.

Com relação aos investimentos do setor privado, merece destaque o Protocolo de Intenções de investimentos assinado pela Vale e pelo Governo de Minas, no início deste mês, para a implantação e expansão de minas e usinas de beneficiamento de minério de ferro no Estado. Os recursos somam o segundo maior aporte da mineradora em Minas Gerais desde a da Mina de Brucutu, em outubro de 2006, e envolverão investimentos de R$ 9,4 bilhões.

Na construção serão criados 9,930 mil empregos diretos e indiretos. Na operação, outros 2,2 mil. Os projetos abrangem sete municípios: Itabira, Itabirito, Barão de Cocais, Caeté, Raposos, Rio Acima e Santa Bárbara.

Reaproveitamento de recursos naturais – A reutilização da água é uma das ações sustentáveis implantadas pela mineradora. De acordo com o Relatório de Sustentabilidade 2008, a empresa aumentou em 11 pontos percentuais o reaproveitamento de recursos hídricos, na comparação com 2007.

Segundo o documento, do total de 1,37 bilhão de m3 de água consumido em 2008, 1,03 bilhão de m3 (76%) foram provenientes de projetos de recirculação e reutilização em diversas unidades, incluindo as operações da Vale na Austrália – adquiridas em 2007 e que só foram consideradas no relatório de 2008. No ano anterior, o reaproveitamento foi de 65%.

Nota – Cabe ressaltar que toda ação voltada à recuperação ou preservação do meio ambiente envolve uma equipe de profissionais especializados na área. Para capacitar os interessados, o Ietec abriu uma nova turma para a Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Integrada para o primeiro semestre de 2010. A primeira turma foi iniciada no início deste ano. A próxima, criada devido à demanda do mercado, terá início em 23 de abril e término previsto para 25 de setembro. As aulas serão realizadas às sextas-feiras, das 18h30 às 21h50, e aos sábados, das 8h às 13h.

Vale oferece 51 vagas para engenheiros

Estão abertas as inscrições para o Programa de Recrutamento para Projetos da Vale, que irá oferecer 51 vagas para profissionais formados nos últimos três anos em Engenharia. O programa, que será oferecido pela primeira vez, tem como objetivo contratar e especializar profissionais para atuarem na implantação de novos projetos da empresa no Brasil e no exterior. As inscrições podem ser feitas pelo site www.vale.com.br

     

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo