Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Gestão de Projetos

Invista em GP e dê um salto na carreira

Cínthia N. Coelho-Fize
Revista Ietec - no. 33

O ano era 1998. O cenário econômico brasileiro vivia uma de suas graves crises motivada pela forte desvalorização cambial, associada a problemas no combate à inflação. As empresas buscavam por soluções que pudessem garantir a sobrevivência dos negócios. Já os profissionais, procuravam por diferenciais que os valorizassem no mercado de trabalho.

Para o Ietec, a solução estaria na capacitação profissional. A pós-graduação em Gestão de Projetos, lançada em março de 1998, oferecia às organizações um realinhamento de seus planejamentos atuais e futuros. Em contrapartida, o profissional recebia a capacitação necessária para promover a evolução na carreira.

A instituição se tornou a primeira a oferecer o curso no país, tornando-se referência na área. “Naquela época, não havia este tipo de formação no mercado. O Ietec vislumbrou esta possibilidade e decidiu investir“, lembra o coordenador do curso de Gestão de Projetos do Ietec e consultor, o Project Management Professional (PMP) João Carlos Boyadjian.

Hoje, a pós em GP do Ietec comemora com orgulho a formação de sua 100ª turma. Entre crises e milagres econômicos, a especialização mostra sua vocação: ser um instrumento de apoio para empresas e profissionais na busca por bons resultados. Além disso, ostenta outros importantes marcos: ter capacitado mais de 2,3 mil profissionais no Brasil e no exterior, e ter contribuído para a evolução e a valorização profissional de seus alunos.

Trajetória – Gasiry Antônio Siman era gerente de projetos da Cobrapi quando fez sua inscrição na primeira turma de pós-graduação em Gestão de Projetos do Ietec. Atualmente como sócio majoritário e diretor da Reframom - Montagem e Manutencão de Refratários, com sede em São Paulo e unidades em Cubatão (SP) e Volta Redonda (RJ), ele afirma que o conhecimento adquirido no curso foi fundamental para rever e aprofundar conceitos. “Eu já trabalhava na área. Porém, no Ietec pude ampliar minha visão sobre as nove áreas da GP, principalmente com relação a custos e qualidade”, comenta.

A abordagem de temas que têm impacto direto no resultado dos projetos mas não eram discutidos com frequência na época, como gestão da mudança, também foi ressaltada por Siman. “A pós-graduação em Gestão de Projetos foi uma grade iniciativa do Ietec. Indico o curso aos meus funcionários frequentemente”, diz o diretor da Reframom, empresa com 620 empregados.

Assim como Siman, o atual gerente de projetos Paschoal Cataldi tinha como objetivo fortalecer os conhecimentos em GP. Integrante da terceira turma do curso, Cataldi hoje é responsável pela Engenharia e Tecnologia de Negócios Zinco da Votorantim Metais, com fábricas no Brasil, Peru, Estados Unidos e China. Seu retorno à sala de aula coincide com a sua recém chegada à Votorantim. Cataldi iria gerenciar a construção de uma nova eletrólise de zinco na unidade de Três Marias – MG, com produção anual de 120 mil toneladas.

“Apesar de uma boa experiência como gestor de operações, processos e qualidade, minha vivência como gerente de projetos era pequena“, lembra. Ciente de que a qualidade de sua performance profissional estava atrelada à sua bagagem de conhecimentos, o executivo apostou na qualificação.

Um importante diferencial de mercado

Cataldi coleciona importantes momentos profissionais na Votorantim Metais. Após sua passagem por Três Marias, ele foi gerente de projetos da área de TI durante dois anos. Na ocasião, implementou o SAP da Votorantim Industrial. Retornou à área de Zinco como gerente geral de Engenharia e Tecnologia e se dedicou, nos últimos três anos, a um projeto da empresa no Peru para a duplicação de uma de suas unidades no país.

Para o executivo, a especialização em GP do Ietec foi essencial. “O talento tem de vir acompanhado de formação adequada ao trabalho que se pretende realizar. O curso permitiu com que eu fizesse a diferença“, afirma.

Entre as contribuições que a especialização ofereceu à sua atuação, Cataldi destaca a visão macro. “É importante ter um olhar sistêmico. Todos os aspectos têm de ser considerados, desde RH ate gestão de escopo e riscos. Ou seja, não negligenciar nenhuma área de conhecimento é chave para o sucesso de empreendimentos“, comenta.

O relato de Cataldi é semelhante ao de muitos outros ex-alunos. Quando João Alfredo de Barros decidiu participar da 40ª turma de Gestão de Projetos do Ietec, seu objetivo era aplicar os novos conhecimentos na busca pela redução de custos e no aprimoramento da qualidade em produtos e serviços.  Na época, Barros era engenheiro de pré-vendas da Diveo do Brasil, empresa especializada no fornecimento de soluções em telecomunicações.

Ao longo do curso, Barros teve a oportunidade de aplicar os conceitos discutidos em sala de aula no desenvolvimento de soluções técnicas e comerciais da empresa. Os resultados obtidos se converteram em oportunidades para Barros, que se tornou o executivo de contas da Diveo.

Para ele, não há dúvidas de que a pós-graduação em projetos foi decisiva para a sua evolução profissional. “A metodologia melhorou bastante a minha visão no desenvolvimento de projetos, na capacidade de gerir pessoas, processos e custos. São itens importantes que definem a diferenciação do profissional no mercado”, garante.

Casos de sucesso como o de Siman, Cataldi e Barros ressaltam o papel da gestão de projetos nas organizações. De acordo com a pesquisa Benchmarking Gestão de Projetos 2009 – Brasil, realizada pelo Project Management Institute (PMI), 51% das 300 empresas consultadas afirmam que a aplicação dos conceitos da GP foram responsáveis pelo sucesso de projetos.

“A especialização em Gestão de Projetos é a porta de entrada para o mercado de trabalho”, afirma o gerente de planejamento da Lyon Engenharia, o PMP Marcelo Dolabela. Aluno da 60ª turma da pós em Gestão de Projetos do Ietec, na época atuava no departamento de Engenharia consultiva e fiscalização de obras em telecom da GT Technology.

Em 2009, após concluir a especialização e obter a certificação PMP, Dolabela foi transferido para a Lyon Engenharia, onde atua hoje como gerente de Planejamento, desenvolvendo atividades de controle e gestão de elaboração de projetos.

“Minha motivação para este curso deveu-se, inicialmente, à necessidade de organizar as ideias, do ponto de vista de informação de um projeto. Os clientes exigiam a criação de metodologias e reports de controle de execução, bem como de start up e planejamento inicial dos projetos“, lembra.

Entre os aspectos decisivos obtidos ao longo do curso, responsáveis pela sua evolução profissional, Dolabela destaca a capacidade de identificar as causas de problemas, desenvolver soluções e definir de forma precisa um processo de controle sobre as variáveis do projeto. “Seguir as técnicas utilizadas ao longo do curso constitui uma boa maneira de aplicação do conhecimento e de mensurar se os resultados obtidos são consistentes“, afirma o gerente.

Para os desafios futuros, conhecimento

Mais importante do que prever o futuro é estar em condições de garantir eficiência e assertividade aos negócios, seja em tempos de paz ou não. Este é o comportamento que será cada vez mais reconhecido pelo mercado de trabalho, e cada vez mais decisivo para a evolução profissional.

Para o consultor em planejamento e gestão de empreendimentos, o PMP Clênio Senra, que ao lado de Boyadjian divide a coordenação da pós-graduação em Gestão de Projetos do Ietec, a dinâmica do mercado força a implantação de projetos no menor tempo possível e sem custos adicionais. Este aspecto, de acordo com Senra, não mudará.

“No passado, eram aceitáveis atrasos em cronogramas e aumento de custo. Hoje, está confirmado que esses erros são oriundos de falhas na gestão de projetos. E como todas as empresas e órgãos governamentais têm projetos a serem implantados, profissionais com competência necessária para lidar com as complexidades que envolvem um projeto são fundamentais“, diz.

Ainda de acordo com a pesquisa divulgada pelo PMI, 57% das empresas pretendem investir em programas de capacitação em gerenciamento de projetos até 2011. Segundo Boyadjian, o índice aponta que os profissionais que investirem na formação terão espaço garantido no mercado.

O analista de planejamento da Delp Engenharia Mecânica, Renato Lúcio, é exemplo de quem sabe que apostar na especialização em gestão de projetos do Ietec é dar um passo rumo à ascensão profissional. “Recebi boas referências sobre o curso. Além disso, percebi que diversos profissionais renomados no mercado já fizeram a pós do Ietec”, afirma.

Para alavancar a carreira, ele, inscrito na turma 97, afirma que irá se dedicar ao máximo aos estudos. O objetivo de Renato Lúcio, que já atua como gestor de projetos, é ampliar os conhecimentos para gerenciar projetos cada vez mais complexos. “O aumento do salário é consequência”, conclui.
 

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo