O Novo Normal na Gestão de Projetos

Comunicação Ietec

Vice-presidente da Ausenco compartilha suas impressões sobre a nova realidade do gerenciamento de projetos após a pandemia

A pandemia de Covid-19 que se instaurou em março desse ano alterou consideravelmente a atuação profissional. Foi necessário se adaptar a um novo modelo de atuação, adotando o trabalho remoto e novas formas de gerir as equipes. Mas esse momento ainda não pode ser chamado de “novo normal”. É o que acredita Rodrigo Moralez, Vice-presidente da Ausenco, que define esse período como uma fase de incertezas e aprendizado. “Seria presunçoso da nossa parte acreditar que, trabalhando por dois ou três meses em casa, viramos todos especialistas no novo normal. Isso não é verdade, ninguém é”, afirmou ele em webinário promovido pelo Ietec.

Profissional de Gestão de Projetos, Moralez nota uma tendência de o mercado desenvolver ou aperfeiçoar ferramentas utilizadas no setor para suprir as exigências dessa nova realidade. Até o momento, a Ausenco adota os mesmos recursos utilizados antes da pandemia, mas a mudança nos modelos de trabalho devem provocar pouco a pouco reverberações nessas ferramentas para garantir um nível de entrega cada vez mais alto.

O gestor também acredita que os recursos humanos sofrerão grandes alterações. “Nós profissionais que estamos habituados com gestão de projetos devíamos estar acostumados a lidar com o incomum, porque essa é a própria natureza do nosso trabalho”, explica ele. Segundo ele, a nova realidade traz novos desafios no processo de criação de um senso de pertencimento, já que não há mais um ambiente físico compartilhado entre os profissionais.

Além disso, os processos de seleção e programas de desenvolvimento devem aderir novos critérios ou ao menos privilegiar algumas características. “Sempre existe a dualidade de ter pessoas muito fortes do ponto de vista técnico e do ponto de vista comportamental ter algumas ressalvas ou vice versa. Da forma como vejo, o foco será ainda maior na questão comportamental. A resiliência, a flexibilidade, a capacidade de comunicação serão ainda mais importantes.”

Já nos processos, para além do trabalho remoto, as consequências da pandemia devem atingir a Comunicação de projetos, através de planos mais simples e assertivos, que permita uma compreensão rápida e clara, enquanto o gerenciamento de riscos precisará ser fundamentado em uma abordagem mais formal e quantificada.

Quando Paulo Emilio, Diretor de Educação do Ietec, o questionou se os modelos de trabalho adotados na Ausenco durante a pandemia continuariam vigentes no novo normal, o Vice-diretor explicou que a produção da empresa quase não sofreu alterações durante esse período e falou um pouco sobre como essas discussões são realizadas. “Na Ausenco temos um comitê global e um subcomitê nacional para discutir como será esse novo normal. Mas neles nós não discutimos o que vai acontecer amanhã, mas em algum momento no futuro quando a pandemia já tiver se dissipado. Ainda não terminamos nossas discussões, mas hoje o mais provável é que não voltemos todos a trabalhar em nossos escritórios. Devemos adotar um modelo mais flexível de home office”. 

Acesse ao vídeo completo do nosso Webinar: “O Novo Normal para a Gestão de Projetos em Nossas Empresas” com Rodrigo Moralez.