O papel do engenheiro de produção no momento de crise

Comunicação Ietec

Durante uma crise econômica as indústrias buscam sustentar seu negócio e melhorar sua competitividade no mercado com ações para diminuir custos de produção, melhorar o atendimento a clientes e buscar inovações em processos e produtos. O engenheiro de produção, especialista na gestão dos processos produtivos, é capacitado para atuar nessa área com foco em custos, atendimento aos clientes e inovação em processos e produtos.

Para José Ignácio Villela Júnior, coordenador do curso de pós-graduação em Engenharia de Produção do Ietec, o engenheiro de produção é importante porque pode ajudar a empresa a reduzir o custo de seus produtos e ainda encontrar formas de melhor atender as necessidades de seus clientes. “Hoje o compromisso com o bom atendimento às necessidades do cliente pode ser decisivo na escolha de um fornecedor. Dependendo do segmento que a empresa atua, seus diferenciais estão na qualidade e cumprimento do prazo de entrega do pedido completo, salienta Villela Junior.

O engenheiro de produção também pode atuar no controle e redução de custos, eliminando desperdícios como produção excessiva ou desnecessária e usar máquinas de layout ineficiente. “Ele também busca soluções para diminuir a perda de materiais, o retrabalho e a quantidade de matérias-primas e componentes utilizados no processo de produção, afirma coordenador do curso de pós-graduação em Engenharia de Produção do Ietec.

O crescimento da demanda pelo produto da Thega Industria e Comercio, que fabrica discos para tacógrafos, exigiu o aumento de sua produtividade em curto espaço de tempo. Segundo Cristiano Vicente Vilano, Gerente de Produção da Thega, a empresa utilizou a engenharia de produção para aumentar a qualidade de seu produto e principalmente diminuir custos, conservando o mesmo quadro de colaboradores. “Com a gestão de produção conseguimos o aumento da produtividade em 30%, melhoria da qualidade de nosso produto e do nosso fluxo interno de produção, na diminuição de perdas e refugos e o melhor aproveitamento do tempo”, comemora Vilano.

O gerente de produção da Thega também explica que sua empresa está mais preparada para enfrentar a crise e a concorrência com a gestão da produção. “Mantemos a nossa produção alinhada com a demanda de mercado, fazendo com que não tenhamos gastos desnecessários, capital parado em estoques”, explica Vilano.


Inovação também é foco do engenheiro de produção

Outro foco de atuação do engenheiro de produção é a busca por melhorias simples ou inovações no processo ou no produto da empresa. A empresa Onda Pluv, fabricante de calhas e rufos, oferece um produto diferenciado a seus clientes graças ao desenvolvimento de uma máquina. A inovação transforma chapas planas em calhas e rufos de perfis ondulados, o que torna os produtos da Onda Pluv mais resistentes e garante maior durabilidade e escoamento de água além de ser uma peça com layout mais bonito.

Uma outra solução simples, feita com a adaptação de uma chapa à máquina que produz as calhas e rufos também proporcionou mais autonomia na produção, evitando a utilização de um funcionário só para fazer a retirada dos produtos acabados.

A Onda Pluv também investiu em outras inovações. Após um grande crescimento da empresa que gerou aumento da demanda por produtos, surgiu a necessidade de maior controle e planejamento da produção. A empresa contratou Adnilson da Silva Verdin, aluno de pós-graduação em Engenharia de Produção no Ietec, para supervisionar sua  produção. As primeiras ações foram a implantação do planejamento da produção, o processo de previsão de demanda, o melhoramento das instalações e da gestão de RH.

“Esses processos ainda estão em desenvolvimento, mas já houve uma melhoria significativa na parte de motivação da equipe, aumento da produção e organização do ambiente de trabalho. A empresa também contratou mais profissionais com boa capacitação” explica Verdin.

Atualmente também há um foco na otimização do uso das informações das planilhas de planejamento e controle da produção da empresa. “Com isso, hoje já é possível fazer a previsão de demandas de produção, o que possibilita uma melhor gestão do setor de compras”, explica o supervisor de produção.