Planejamento da produção é diferencial competitivo das indústrias

Comunicação Ietec

Reduzir gastos, padronizar mercadorias e agilizar processos. Ao planejar e programar as etapas da fabricação, as empresas aumentam a competitividade e dão um passo à frente da concorrência. No atual cenário, em que as indústrias ainda se recuperam dos efeitos da crise financeira internacional, investir na linha de produção pode ser a saída para se destacar no mercado.

“O empresário industrial está otimista para os próximos meses. Porém, é necessário recuperar as perdas do último ano”, afirmou o diretor de novos produtos e coordenador dos cursos da área industrial do Ietec, José Ignácio Villela Júnior. Cabe ressaltar que, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção da indústria brasileira registrou alta de 0,8% em setembro na comparação com agosto. Frente a setembro de 2008, no entanto, houve recuo de 7,8%.

Villela Júnior explicou que ao planejar a produção, o profissional define quais etapas serão adotadas. Já a programação, realizada logo em seguida, diz respeito à ordem em que os processos serão executados. Quando bem elaboradas, estas ações garantem aumento da capacidade fabril, redução de desperdício de matéria prima e melhor aproveitamento dos recursos, inclusive de mão de obra. “Um empregado parado ou mal posicionado pode resultar em perdas severas”, disse.

Outro ponto destacado pelo diretor de produtos do Ietec como fundamental para que as etapas da produção fossem reconhecidas como diferencial estratégico das empresas foi a percepção de que o chão de fábrica é o principal responsável por atender às necessidades do tripé “revendedor, consumidor e acionista”, principais focos da indústria.

Benefícios - Segundo ele, quando o planejamento e a programação são realizados de forma correta, o produto é fabricado de maneira mais rápida, atendendo aos prazos de entrega pré-estabelecidos com o revendedor. A padronização minimiza os riscos e garante a credibilidade da mercadoria fabricada, fatores que refletem diretamente na satisfação do consumidor e na expansão de mercado. Por fim, o aquecimento nas vendas, somado à boa condução dos recursos e da mão de obra, eleva o lucro e favorece os acionistas.

“Com o aumento da receita, há a possibilidade de novos investimentos, aumentando produção e a necessidade de contratação. É um processo cíclico, com benefícios para todas as partes”, justificou, ressaltando a importância da capacitação da mão de obra como fundamental para que planejamento atinja o resultado pré-estabelecido.

A necessidade de controle é constante. Nesta fase, é comum e saudável que surjam as “inovações”. As medidas inovadoras, além de auxiliarem para a redução de custos, agilidade na produção, credibilidade do produto e aumento da receita, podem elevar a contribuição da empresa para a preservação do meio ambiente, aumentando a competitividade da indústria no mercado.